O último sábado era pra ter sido apenas de alegria para o youtuber LGBT Guigo Kieras, que foi aproveitar a saideira do carnaval com amigos mo bloco de carnaval da cantora Claudia Leitte em São Paulo.

Quando caiu uma forte tempestade que acabou interrompendo o show, ele e seu amigo João Henrique Félix tentaram se abrigar em uma marquise de uma churrascaria pelo local. No momento, foram impedidos grossamente pela polícia, que se abrigava ali e exigiu exclusividade do uso do espaço (público, diga-se de passagem).

Sem contrariar as autoridades, ambos se dirigiram a uma árvore que estava a cerca de um metro e meio de distância de um dos policiais e ficaram abraçados se protegendo da tempestade. Irritado com a proximidade da dupla que tinham acabado de expulsar da marquise, um dos PMs já chegou se dirigindo a eles com cacetete os ameaçando caso não saíssem dali.

Guigo questionou o motivo já que eles não estavam atrapalhando em nada. Sem paciência e visivelmente irritada, a PM (sim, vários dos policiais) partiu pra cima dos dois.

João chegou a ser atingido e teve ferimentos, mas conseguiu correr de lá. Guigo não teve a mesma sorte e não apenas foi atingido como foi covardemente arrastado pelo grupo de policiais até um beco, onde, escondido do público entre viaturas da PM, foi espancado pelas autoridades até ficar desacordado por um mata-leão dado por um dos cinco policiais que o agrediu entre chutes, socos e golpes de cacetete.


Assista também:


O que motivou o ataque? Nem Guigo sabe explicar. Sabe-se entretanto que ele estava próximo a PM com seu namorado Saulo Siqueira anteriormente enquanto curtiam o show de Claudia Leitte, e logo após a chuva, como com o amigo João, com quem na hora da tempestade dividiu a árvore a abraçou se protegendo do frio e chuva.

Homofobia? Não ficou explícito ao menos o suficiente para se poder fazer uma acusação formal e comprovada, entretanto nem as vítimas e nem a própria polícia, procuradas pela reportagem do G1, souberam explicar a razão de tanto ódio dos policiais.

Vale lembrar que, embora tanto o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, quanto o governador de São Paulo, João Dória, incentivem a PM a matar em suas campanhas achando que violência é solução para violência, a corporação é paga para proteger o cidadão, e segundo seu próprio e principal juramento, honrar a vida.

Tanto João quanto Guigo tiveram hematomas e machucados por todo o corpo. O youtuber ainda teve a boca rasgada por um soco dado pelo policial.

A vítima afirma que em nenhum momento foi oferecido qualquer desacato ou resistência às autoridades: “Me recordo de antes de desmaiar, pedir ao policial para que por favor não me matasse”, lembrou Guigo.

O que a polícia militar não contava, é que Guigo é conhecido nas redes sociais, somando mais de 150 mil seguidores em seu Instagram.

Sendo assim, em menos de 24 horas, tendo que ter feito uma cirurgia plástica na boca, tomografia, Boletim de Ocorrência e exame de corpo de delito, a denúncia do caso entre seus seguidores e amigos famosos, tomou proporções inesperadas, rendendo em apenas um dia, matéria no fantástico e a solidariedade de famosos como Pabllo Vittar, Claudia Leitte, Pepita, dentre muitos outros.

View this post on Instagram

E assim foi o final do meu bloco neste último sábado. Fui na companhia de alguns amigos no bloco Largadinho, na Barra Funda. Estava muito feliz pois sou fã da Claudia Leitte e tudo estava muito leve e descontraído. Quase no final do circuito, uma chuva muito forte começou, obrigando o público a procurar por abrigo. Tentei com um amigo me abrigar embaixo de uma marquise na Avenida Marques de São Vicente, onde um grupo de policiais militares se protegiam e fomos impedidos, um dos policiais informou que não podíamos ficar ali, sem questionar saímos e andamos mais alguns metros, nos alojando embaixo de uma árvore próxima dessa marquise, onde não havia ninguém e fiquei abraçado com ele para me proteger do frio, nisso um policial começou a gritar dizendo que ali também não podíamos ficar, eu questionei porque não havia motivo aparente para não poder, fomos em seguida perseguidos por 4 a 5 PMs que nos batiam com cassetetes, chegando a me perseguir na rua, me levar a força para uma rua afastada, onde levei socos, chutes e fui desacordado por uma mata-leão. A última coisa que lembro antes de perder a consciência foi de pedir para não morrer, e segundos após acordar, me recordo de pedir pra ir embora. Fui chutado para a rua, onde, sangrando muito pela boca e rosto, saí em busca de ajuda. O que mais me dói não é o que passou comigo, mas é saber que essa é a realidade de milhares de jovens brasileiros, que dependem desses profissionais despreparados e desequilibrados. Precisamos de segurança, de respeito, e, principalmente, de mais amor no coração. Tá difícil…

A post shared by Guigo Kieras (@guigokieras) on

Pabllo Vittar lamenta agressão de PMs a Guigo Kieras
Claudia Leitte lamenta agressão de PMs a Guigo Kieras

O namorado de Guigo, Saulo Siqueira, também se manifestou com indignação em suas redes sociais:

View this post on Instagram

Momento de abrir o coração aqui… a maioria de vocês já deve ter visto no perfil do @guigokieras que ele sofreu ontem agressão da Polícia Militar do Estado de São Paulo junto com o nosso amigo @jaumfelix simplesmente por querer se abrigar da chuva embaixo de uma árvore ao lado de onde eles estavam e questionou porque eles estavam negando abrigo. Ele chegou a pedir para não ser morto! Quando eu vi meu menino voltando chorando muito com a boca partida ao meio e cheio de hematomas eu fiquei transtornado 😭 e minha primeira reação foi pegar o celular começar a gravar e despejar toda a minha indignação! Nunca senti tamanha indignação e impotência. Numa atitude impulsiva e pouco racional postei no Instagram e muitos se preocuparam com o que aconteceu. Estava sim embriagado (como se vê no vídeo) e recebi inclusive represálias por isso, mas isso é o de menos… não tenho mais vergonha de expor porque nessas imagens minha reação é de indignação e portanto precisam ganhar repercussão para denunciar a truculência e o despreparo desses que se dizem profissionais da polícia mas não passam de seres humanos podres e estragados e que precisam ser retirados da rua! Não seremos silêncio, não seremos medo, não seremos cúmplices de impunidade!!! Não podemos garantir homofobia, mas em um local majoritariamente LGBTQI onde o guigo estava abraçado com o João, também não podemos excluir!!! Seremos resistência sim! E vamos exigir justiça!!!!! Obrigado pelo carinho de todos e preocupação! Estamos bem!

A post shared by Saulo Siqueira (@slsiqueira) on

Uma reportagem do G1 que estava pelo local conseguiu um vídeo da agressão registrado por um cinegrafista anônimo que gravava no local e ao ver a movimentação, gravou parte do acontecido.

Nas redes sociais o crime e a exibição da reportagem da Globo também repercutiu:

A polícia agora apura o caso e afirma que os PMs responsáveis pela agressão covarde já foram afastados da corporação. Não se sabe entretanto se isso é só até o crime ser apurado para se efetivar a justa exoneração dos envolvidos ou se isso é apenas uma mais uma manobra da polícia que mais mata no mundo, até que se baixe a poeira.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).