Vou falar um pouco sobre esse PILAR da Constituição Federal.

Coitadinha da Constituição, quase diariamente rabiscada por esse novo governo fundamentalista.

Estado laico é o Estado indiferente às posturas religiosas. Primeiro porque quem tem religião é o cidadão brasileiro e não o Estado e, segundo porque de acordo com o texto constitucional, “é vedado à União, Estados e Distrito Federal e Municípios, estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvenciona-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles e seus representantes relações de dependência ou alianças, ressalvada na forma da lei a colaboração e o interesse público”.

É vedado quer dizer proibido. Então é proibido impedir o funcionamento de qualquer igreja mas, é igualmente proibido manter com as igrejas e seus representantes, relações de dependência ou aliança.

Eu não sei e, penso que ninguém saiba, qual a religião dos ministros do Supremo Tribunal Federal ou, se são ateus.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Fato é que o Supremo é um dos Poderes do Estado e o Estado é laico. Os ministros não estão lá para julgar de acordo com seus conceitos sobre Deus mas, sobre os conceitos e preceitos constitucionais.

Hoje, o Excelentíssimo Senhor Presidente que, acorda todos os dias pensando em que frase polêmica soltará na mídia, disse que indicará um ministro terrivelmente evangélico no seu governo.

Eu não tenho nada contra a religião de ninguém. Tenho muito contra os fanáticos, os extremistas e os fundamentalistas porque eles mudam os conceitos da Bíblia, do Al Corão, do Talmude e tantos outros escritos, conforme lhes convém. 

Os piores regimes fundamentalistas do Oriente Médio, governam em nome de Alá e, fazem barbaridades com os cidadãos, diariamente.

Mas, o único livro a ser observado naquela Corte Suprema do País é a Constituição Federal. É crime constitucional fazer alianças com igrejas ou seus representantes num governo democrático e, num Estado laico.

Vamos pensar bem nisso e no que isso vai dar… Fiquemos atentos, tudo começa bem devagar e vai tomando uma forma e um rumo que não atende aos anseios de todos mas, de uma pequena parcela da população.

O governo é representante do povo brasileiro e não dos terrivelmente evangélicos…