Um dos líderes do Uzbequistão, o imam Rahmatulloh Saifutdinov, conhecido no Oriente Médio por sua postura conservadora e anti-LGBT, fez uma afirmação no mínimo inusitada. Ele disse ter certeza de que bebês gays são gerados sempre que as pessoas fazem sexo pensando em outras pessoas que não sejam o parceiro em si.

Em um discurso público no último dia 2 de março, o religioso também chamou a homossexualidade de “doença que preocupa o mundo atual”.
Sua preocupação se dá, segundo ele próprio, pelo fato de muitas mulheres do Oriente Médio estarem tendo fantasias sexuais com os galãs turcos de novelas: “Há muito incentivo às mulheres casadas nos dias de hoje! É praticamente um relacionamento com três pessoas”, esbravejou o líder.

Machista? Ele garante que não. Segundo Rahmatylloh, homens também devem pensar apenas na esposa durante o sexo: “Homens também devem evitar imaginar outras mulheres quando tiverem fazendo sexo com suas esposas porque isso pode, por exemplo, gerar uma bebê lésbica.”

O Uzbequistão é um dos países mais perigosos para a comunidade LGBT no mundo. Se um cidadão é LGBT por lá, pode ser condenado a penas que variam de tortura à morte.

Em Dezembro do ano passado, dois homens foram capturados pelas autoridades e torturados por terem sido flagrados em sexo gay.

Eles atualmente continuam presos condenados a três anos pelo crime local de “ter relações sexuais ilegais”.

CÓDIGO ÚLTIMO VIDEO:


Veja também:


Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).