Chinju Aswathi é a primeira pessoa intersexo da Índia a concorrer pelo parlamento indiano nas eleições deste ano, disputando uma cadeira para representar o Estado de Kerala, que fica no sul do país.

Falando ao jornal local Newsrupt, Aswathi disse que “A vida de pessoas intersexo na índia é ainda pior do que a realidade das pessoas trans”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Pra quem não sabe, intersexo são as pessoas que nasceram biologicamente com os dois sexos. Uma parcela minoritária da população que antigamente era chamada de “hemafrodita”, mas o nome caiu em desuso devido ao estigma.

É importante lembrar que cerca de 1.7% da população nasce com características biológicas sexuais diferentes do padrão, incluindo aí fatores como as pessoas intersexo, variações cromossômicas a genitália ou mesmo alterações hormonais.

Segundo Aswathi, pessoas intersexo sofrem desde o nascimento onde é muito comum o médico ou os pais decidirem por um dos sexos para a criança, muitas vezes cometendo mutilações e enganos, forçando essa pessoa depois que cresce a se tornar uma trans pelo erro da decisão médica ou dos pais, percebendo estar em ume biologia em desacordo com o gênero ao qual entende ser o seu.

VEJA TAMBÉM:  Policiais receberão cartilha para aprender como lidar com cidadãos LGBTs

Um recente estudo envolvendo um grupo de médicos europeus chegou ao consenso de que a criança nascida intersexo deveria ser envolvida na decisão da família e dar o seu parecer sobre seu gênero antes das mudanças serem decididas (muitas vezes, logo que nasce!).

Asathi falou em entrevista ao Newsrupt sobre todas essas questões e garantiu que, se conseguir a eleição, irá lutar além dos direitos das pessoas intersexo, mas também pelas minorias Dalits, comunidades pobres de pescadores e direitos da mulher na Índia.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).