O Papa é pop! Francisco, Papa da Igreja Católica já mudou o entendimento da Igreja em relação a gays, a divorciados e outras tantas modernidades. Por conta disso, mora no Convento Santa Marta e não nos aposentos papais, com medo de ser morto durante a noite.

Alas radicais da Igreja não o toleram e, não concordam com seus concílios que são as ordens Papais anuais que mudam em muito o entendimento do acolhimento dos fiéis pela Igreja.

Mudando para o Brasil, o Supremo acaba de – felizmente – criminalizar a homofobia mas, já se articula no Congresso uma bancada para rever essa decisão: a bancada evangélica.

O medo da bancada é que os pastores passem a ser punidos por homofobia.

Durante a Parada Gay vimos muitos cristãos dizendo que Deus ama todos os seus filhos, independentemente da condição sexual. Não gosto do termo orientação porque ninguém se orienta de um jeito ou outro. A pessoa nasce como é. Isso é condição!

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

E o Supremo não poupou os pastores e padres de eventualmente serem enquadrados no crime de homofobia. Um pastor ou padre podem sim dizer que a sua igreja condena a homossexualidade. Isto é uma coisa. Dizer que os gays são capetas, sujos, sodomistas, tarados ou qualquer outra coisa, isso sim é crime.

Aliás, a bancada evangélica não deveria temer de forma alguma a criminalização. Cultos são momentos de encontro com Deus e não apologia de apontação de dedos. Se eles padres e pastores se restringissem a simplesmente pregar a palavra de Deus, estariam durante todo o tempo da missa ou culto falando de amor e não destilando seus ódios pessoais contra quem não lhes fez nada e não faz diferença em suas vidas. Mas, como todos sabemos, as religiões são mestras em impor culpa aos seus fiéis. Através da culpa, eles conseguem manipular massas para comprarem lugares no Paraíso ou, irem direto para o Inferno.