Steve Anderson, um pastor norte-americano que já foi banido em 33 países, afirmou que os incêndios que assolam a Austrália são um castigo de Deus por “baní-lo e deportá-lo como pregador do Evangelho”. Além disso, como era de se prever, ele colocou a culpa na aprovação do casamento gay que aconteceu ano passado no país.

Em seu Facebook, Anderson disse: “Talvez se a Austrália não proibisse e deportasse pregadores do Evangelho, eles não estariam sob o julgamento de Deus”. Os comentários mais populares em seu post felizmente criticavam seu pensamento, o classificando como um absurdo e anti-cristão.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em julho de 2019, Anderson, que lidera a Igreja Batista da Palavra Fiel em Phoenix, Arizona, revelou que a Austrália o havia proibido de entrar no país. Anderson tentou vir à Austrália para falar na Igreja Batista da Nova Vida na Austrália com o pastor Kevin Sepulveda.

VEJA TAMBÉM:  Avô defende neto gay e repudia sua filha homofóbica que tentou rejeitá-lo

“Acabei de receber hoje a notícia de que, basicamente, fui banido da Austrália”, disse Anderson a seus seguidores no YouTube. Ele disse que seu visto de viagem foi negado pela Austrália, acrescentando que “não iria poder entrar no país.

Mesmo em um mundo com violência, pedofilia, fome e miséria, as maiores críticas de Anderson costumam sempre serem direcionadas à comunidade LGBTIQ. 

Pra se ter ideia, após o tiroteio na boate em Pulse em 2018, ele elogiou o atirador, chamando as vítimas de “um monte de pervertidos e pedófilos nojentos” e  ainda afirmando que “homossexuais eram dignos de morte”.

No passado, Anderson já incentivou seus congregantes a matar gays, chamando-o de “cura para a AIDS”. Ele também defendeu que os governos mundiais executassem pessoas gays.

Belo cristão, heim?

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).