Um pastor conhecido por protestar contra LGBTs na Flórida está sendo acusado de assediar jovens garotos que frequentavam sua igreja.

Eric Dudley é casado, pai de três filhos e passou boa parte de sua carreira religiosa pregando contra o que ele chama de “males do homossexualismo“. Ele serviu como reitor da Igreja Episcopal de São João entre 1995 e 2005 quando resolveu se afastar e criar sua própria igreja, a Igreja Anglicana de São Pedro.

O pastor estava em atividade nesta igreja desde então até que uma polêmica envolvendo alegações de má conduta sexual o fez pedir demissão do cargo.

O caso está sendo investigado pelo GRACE, um grupo independente que ajuda igrejas a analisar e investigar casos de abuso e assédio sexual. Nesta semana, o grupo divulgou um relatório com algumas conclusões do caso.

Após conversar com mais de 50 supostas vítimas e testemunhas, além de analisar e-mails e troca de mensagens, o grupo concluiu que as informações apresentadas corroboram uma à outra e apresentam um certo padrão de comportamento do pastor. O GRACE ainda aponta que muitas das vítimas não se conheciam ou faziam ideia de que não foram as únicas, o que contribui ainda mais para as provas apresentadas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em depoimento, uma das vítimas disse que Eric o procurou dentro de um quarto de hotel durante uma viagem de trabalho. Segundo ele, o pastor reservou um quarto com apenas uma cama e culpou a recepção pelo erro. Durante a noite, ele acordou e encontrou Eric acariciando seu corpo.

Parte de mim estava dizendo ‘Isso é muito estranho’“, disse ele aos investigadores, “E outra parte estava apenas: ‘Isso não pode estar acontecendo’. Ele é conhecido como o cara que odeia gays. Somos uma igreja que foi construída com base na anti-homossexualidade. Ele fez sua fama com isso, de jeito nenhum esse cara está vindo pra cima de mim. Só posso estar interpretando mal“, disse uma das vítimas.

Várias outras supostas vítimas relataram que passaram por abordagens iguais ou semelhantes. Em um dos depoimentos, um jovem disse que estava mostrando sua casa para Eric e, quando foi mostrar o quarto, o pastor teria pedido para ele se deitar. Ao fazer isso, Eric teria subido em cima dele, beijando e tirando sua roupa. Desconfortável com a situação, o jovem alegou que empurrou o pastor e saiu correndo.

No dia seguinte, Eric teria ligado para ele e implorado para que fugissem juntos para a Califórnia:
Ele dizia coisas como: ‘Eu não sou gay, não gosto dessas coisas. Eu só preciso de você, sou uma pessoa afetuosa. Preciso ser tocado por você´“, disse o jovem.

Uma testemunha disse aos investigadores que observou “um padrão de homens jovens que pareciam ter atraído a atenção do reitor“. Outra disse que Dudley era atraído por “homens jovens bonitos, magros e em boa forma“.

O relatório GRACE conclui recomendando que a igreja atualize suas políticas sobre má conduta sexual e crie um sistema para lidar com abusos e ajudar vítimas. Enquanto isso, autoridades da igreja dizem que as supostas vítimas de Eric Dudley estão recebendo uma espécie de compensação financeira e aconselhamento pelos abusos e traumas sofridos.