Dezoito pessoas foram detidas por roubo ou furto de celular durante a 23ª edição da Parada LGBT em São Paulo, segundo balanço divulgado na segunda-feira (24) pela SSP (Secretaria de Segurança Pública).

De acordo com o órgão, 14 aparelhos celulares foram apreendidos. Além dos crimes de roubo ou furto, o grupo também foi detido por associação criminosa.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A SSP informou que mais de 800 policiais trabalharam no evento que acontece tradicionalmente na avenida Paulista, região central de São Paulo.

Segundo estimativa da prefeitura, cerca de 3 milhões de pessoas se reuniram no local. Neste ano, o tema escolhido foi “50 anos de Stonewall”, a revolta do movimento gay em Nova York contra a repressão policial.

Esta edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo teve 19 trios elétricos que desfilaram durante mais de 7 horas. A concentração ocorreu a partir das 10h, na frente do Museu de Arte de São Paulo (Masp), depois a passeata desceu a Rua da Consolação e foi até a Praça Roosevelt.

VEJA TAMBÉM:  Em vídeo, LGBTs históricos contam como aconteceu a 1ª Parada de SP em 1997; assista