Adoção é sempre uma atitude tão linda, né? Nem mesmo uma pandemia mundial impediu esse casal gay de realizar o sonho de se tornarem pais mais uma vez. Eles adotaram um jovem de 17 anos que passou cinco anos sem família depois que sua mãe faleceu, vivendo em orfanatos e sendo recusado por várias famílias.

E a adoção do filho Michael pelo casal Chad e Paul Beanblossom de Pigeon Forge, em Tennessee (EUA), ainda respeitou as regras de distanciamento, sendo oficializada por uma ligação de Zoom.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Enquanto os processos judiciais pararam repentinamente em meio à pandemia de coronavírus, 80 pessoas – de amigos a familiares, além dos oficiais de justiça – juntaram-se ao Beanblossoms via Zoom para testemunharem o momento em que a adoção foi formalizada.

VEJA TAMBÉM:  Homem processa família do namorado morto por roubo de herança milionária

“O juiz mencionou que foi a maior adoção via Zoom – desde o início da pandemia – que fez até hoje”, disse Chad ao Good Morning America.

He's made us better people" | Couple adopts teen via Zoom | wbir.com
A família oficializada pela Justiça através de uma ligação de Zoom devido à pandemia. (Foto: WBIR)

Os Beanblossoms estão casados ​​há cinco anos, têm três filhos biológicos e também são avôs. Eles criaram alguns filhos antes de conhecer Michael, que entrou no sistema de adoção depois que sua mãe faleceu quando ele tinha 12 anos.

Orgulhosos, os pais contaram como acolheram Michael depois que ele passou por nove lares adotivos diferentes no período de cinco anos em que esteve no abrigo.

“Quando Mike veio até nós, foi rotulado de um risco mais alto porque ele já havia fugido antes de suas famílias”, Chad explicou. “Mas ele simplesmente entrou e tomou nossos corações”.

VEJA TAMBÉM:  “Gays só deviam adotar criança com problema”, diz diretora de serviço de adoção
A nova família formada. (Foto: Reprodução/ Facebook Chad Beanblossom)
A nova família formada. (Foto: Reprodução/ Facebook Chad Beanblossom)

Ele nos ensinou tanto, senão mais, do que nós o ensinamos. E foi o próprio Michael que, finalmente se sentindo acolhido de verdade por uma família, mesmo em plena pandemia, solicitou que fosse formalmente adotado pelos Beanblossoms.

Allyson Sayne, que presta serviço social à família no Departamento de Menores de Idade do Tennessee, também deu alguns antecedentes que mostram o quão importante foi o processo de adoção para a família.

“Paul e Chad Beanblossom têm sido ótimos defendendo Michael e dando a ele oportunidades que ele não teria de outra forma”, disse Sayne.

“Esta família ainda teve que passar pela tragédia de um incêndio em uma casa um mês antes da adoção de Michael, mas eles se concentraram no fato de que eles tinham um ao outro e não deixaram que isso afetasse a adoção de Michael.”

VEJA TAMBÉM:  Campeão da F1, Lewis Hamilton, se desculpa após bronca em sobrinho vestido de princesa

E com isso, mais uma história LGBT salva o dia e resgata nossa esperança na humanidade, não é mesmo?

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).