Um pai esfaqueia seus dois filhos em South Yorkshire, Inglaterra, no dia em que se comemora o “Boxing Day”, um dia após o natal, data festiva para alguns países do Reino Unido. Na ocasião de 26 de dezembro de 2020, os filhos reclamaram de sua homofobia e transfobia e o crime aconteceu, mas só agora no julgamento o caso veio a público.

De acordo com o Yorkshire Live, Robert Mitchell, 48, passou a noite bebendo com sua esposa e filhos em sua casa. A família começou a discutir os direitos LGBT+, mas Mitchell começou a usar uma linguagem transfóbica e homofóbica, alegando que não gostava ou não entendia esses “tipos de pessoas”.

Quando um dos filhos o lembrou que tinha amigos gays e trans, o outro filho concordou e chamou Mitchell e sua esposa de “cuzões”. O promotor Eddison Flint disse ao tribunal: “Houve então um confronto entre o réu e seu filho. Os dois começaram a brigar resultando em uma luta física, a dupla acabou no chão.

“Assim que eles se levantaram novamente, o réu, que já foi um homem forte que já havia treinado jiu-jitsu, pegou o filho e o jogou no chão, causando dor em suas costas”, continuou o promotor. Quando parecia que a luta havia acabado, Robert Mitchell se levantou e foi até a cozinha. No entanto, ele voltou com uma faca de cozinha.

Pai esfaqueia filhos e ficará preso por mais de 1 ano

O pai esfaqueia um de seus filhos no peito e no torso. Seu outro filho tentou segurar a madrasta, mas Mitchell então se voltou contra ele e o esfaqueou quatro vezes, desta vez no peito e na axila. Os dois filhos fugiram para a casa de um vizinho para pedir ajuda, antes de serem levados ao hospital.

Um deles passou três noites no hospital, com uma das facadas perto do coração. O tribunal ouviu que, embora um dos filhos estivesse disposto a reatar o relacionamento com seu pai após o crime, ele rapidamente mudou de ideia quando Mitchell tentou culpar seu outro filho pelo incidente. Mitchell se declarou culpado de duas acusações e vai passar um ano e nove meses atrás das grades.