Rolou um exposed e tanto com o padre Robson Oliveira Pereira, de 46 anos, que era líder da Basílica do Divino Pai Eterno em Trindade, em Goiás.

Uma investigação revelou que o pároco foi chantageado diversas vezes e chegou a repassar quase R$ 3 milhões originados de doações de fieis da Associação dos Filhos do Divino Pai Eterno (Afipe) a um hacker que ameaçava expor casos íntimos dele.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A defesa do padre – que agora encontra-se afastado das suas funções devido à investigação – afirma ainda assim que as ameaças do hacker eram baseadas em conteúdos falsos: “Padre Robson foi vítima de extorsão, tendo buscado apoio da polícia, que monitorou suas transações e já culminou na prisão dos envolvidos. O conteúdo das ameaças não era verídico”, disse sua defesa ao G1.

Tanto o hacker Welton Ferreira Nunes Júnior quanto mais quatro envolvidos nos crimes de chantagem e extorsão foram condenados com penas que variam de 9 a 16 anos de prisão. Um dos casos que o hacker ameaçava expor para conseguir o dinheiro era do pároco com ele mesmo.

VEJA TAMBÉM:  Padre alega que levou menor de idade a bar e dividiu quarto de hotel “sem querer”

“Observa-se que os acusados foram responsáveis por transmitir as ameaças à pessoa da vítima [Robson], por meio de mensagens em aplicativos e e-mails. Nessas, disseram os acusados que a vítima possuiria relacionamento amoroso com diversas pessoas, inclusive com o próprio Welton”, afirmou o juiz Ricardo Prata.

Ainda segundo a reportagem do G1, o documento traz um segundo romance usado no esquema da chantagem. Em depoimentos ao Ministério Público, um policial civil que estava na investigação e uma pessoa próxima ao padre disseram que os hackers encontraram uma foto dele com uma mulher, também do círculo de amizade do pároco, e uma conversa relatando situações amorosas: “Ele [Robson] me mostrava [mensagens]. Um dos vídeos, vamos lá, um deles né, parece que era um vídeo gravando a tela de outro celular, onde tinha uma foto do padre com a [mulher] próximos um ao outro, e suposta troca de mensagens amorosas, né?”, relatou uma pessoa ao MP, fato que foi confirmado pelo hacker: “Tinha foto dele com uma moça. Ela falando da data do primeiro encontro dele, essas coisas”.

VEJA TAMBÉM:  Jornalista gay que vai apresentar Jornal Nacional é alvo de suposta indireta preconceituosa de Padre

Segundo o MP, dos 2,9 milhões de reais, a associação ficou 1,2 milhão no prejuízo. Ainda segundo a defesa do padre, o valor foi recuperado e está depositado em conta judicial aguardando para poder voltar às contas da associação.

Conforme confirmado por Ricardo Prata na decisão judicial, as ameaças intimidaram o padre a pagar os chantagistas diante de extorsões que duraram 2 meses: “O padre se viu, por diversas ocasiões, incapaz de celebrar missas e continuar com o seu trabalho, por ter sido afetado pelos amedrontamentos para denegrir sua imagem pessoal e como sacerdote”, disse o juiz.

As movimentações financeiras milionárias da Associação Filhos do Pai eterno levantaram suspeita do MP, que agora apura se R$ 120 milhões originados de doações de fieis foram usados pelo padre Robson para compra de casa na praia, fazendas e outros ítens de luxo.

VEJA TAMBÉM:  Escândalo no Vaticano: relatório prova farra de 40 padres com garotos de programa

Procurada, a Arquidiocese de Goiânia negou que as doações de fieis sejam usadas para motivos não religiosos e prometeu que contratará uma empresa para fazer uma auditoria nas contas da Afipe. Segundo o Ministério Público, a entidade presidida pelo padre recebia cerca de R$ 20 milhões em doações mensalmente.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).