Eles são homens e mulheres LGBTs que ajudam a pavimentar e construir uma história atual não apenas no Vale, como no país de maneira geral. Seu empenho e a força de seus discursos é tanto que se destacam entre os dez LGBTs mais influentes do Brasil.

São palavras, discursos, ideias. Ativistas, cantores, influencers, sempre buscando utilizar de seu espaço para dá voz aqueles que são poucos ouvidos o que a sociedade finge que não existem. Com histórias pessoais distintas, trajetórias de superação em que milhares se identificam e se inspiram.

A imersão no Vale e da preocupação em fazer a diferença por si e por tantos, rendeu o reconhecimento na Lista dos 50 LGBT Mais Influentes do Brasil em 2018 promovido pela Rede Guiya (e separamos os dez principais). Importante deixar claro que a iniciativa da Rede Guiya não se trata de única e simplesmente de um rol de famosos, não é um quantitativo de seguidores em redes sociais. É uma pesquisa que visa apresentar a atuação de pessoas que se empenham pela comunidade LGBT.

O fator principal foi para se ter uma noção de quão em média essas pessoas conseguem influenciar a vida de outras pessoas e os rumos do país, independente do alcance que a influencia atinge.

Conheça os dez LGBTs mais influentes do país:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

10º Nanda Costa

Assumidamente desde julho de 2018, a atriz e sua companheira, a percussionista Lan Lan estão sempre postando sobre a rotina do casal nas redes sociais. Exemplo de atriz bem sucedida e engajada naquilo que acredita.

9º Gloria Groove

A dona do Bumbum de Ouro, já é parte do panteão das Drags! No ano de 2018 ganhou ainda mais destaque na mídia e apareceu em diversos programas de TV e assim emplacou diversas parcerias com nomes de peso da música nacional. Gloria é sempre sinônimo de diferencial por seus discursos muito bem fundamentados.

8º Pedro HMC

Pedro é sinônimo de sucesso! Em 2018 ele fortaleceu ainda mais sua influência na comunidade LGBT. A frente do portal de notícias Põe Na Roda e sucesso crescente no canal de Youtube de mesmo nome, Pedro continua e formar centenas de milhares de consciências e sempre sem perder o bom humor. Se tornou queridinho do Vale após assumir o namoro com um homem trans.

7º Linn da Quebrada

Linna Pereira, mais conhecida como Linn da Quebrada, funkeira e ativista, fez turnê na Europa e segue sendo referência tanta para o público quanto para artista que a veem como um nome a ser seguido e ouvido. Foi estrela no documentário Bixa Travesty, premiado com o Teddy Award, prêmio maior as produções LGBT do Festival de Berlim.

6º Jean Wyllys

Duas vezes eleito Deputado Federal, único integrante assumido do segmento LGBT a integrar o Congresso Nacional e sempre com um discurso atento em favor da comunidade LGBT. Com um ano de 2018 muito difícil, o Deputado Federal acabou decidindo não assumir o novo mandato e sair do país, temendo pela própria segurança.

5º Reinaldo Bulgarelli

O nosso quinto lugar é ocupado por um indicado ao Prêmio Nacional de Direitos Humanos, com carreira longa e responsável pelo engajamento de empresas que no ano de 2018 hastearam a bandeira LGBT e abraçaram a inclusão de LGBTs interna e externamente pelo Vale. O Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, capitaneado por Bulgarelli foi a porta de entrada dessa revolução.

4º Daniela Mercury

A cantora com mais de três décadas de carreira e casada com a jornalista Malu Verçosa, há cinco anos; em 2018 deu continuidade ao trabalho de visibilidade ao amor entre iguais e de vocalizar o grito pela cidadania. Daniela, diferente de outros artistas, não carrega bandeira; ela é o próprio furação baiano que a faz tremular por todos nós.

3º Toni Reis

Educador paranaense e morando em Curitiba, com quase 40 anos de ativismo pelas causas LGBT, desponta entre um dos principais nomes do movimento no país. Seu nome é sempre presente em livros e estudos voltados a ações pró-LGBT no país. No anos de 2018, o presidente da Aliança Nacional LGBTI e introdutor da sigla no país, atuou no STF pela criminalização da discriminação contra o segmento, além de representar o país em diversos eventos importantes internacionais. Reis ainda se casou com seu companheiro de 28 anos de relacionamento.

2º Pabllo Vittar

A base firme do Vale tem um nome: Pabllo Vittar! Com o seu segundo álbum lançado em 2018, a consolidação como artista se confirmou. Em todos esses anos, nunca uma Drag Queen esteve tão em destaque nas mídias ou conquistou um reinado tão fiel na comunidade LGBT. Os VittaLovers se espalham de norte ao sul do país se espelhando na liberdade que a drag queen cantora expressa.

1º Marielle Franco

Marielle, Presente! Com o assassinato da vereadora vinda de comunidade carente, negra e LGBT pensaram que calariam sua voz. Tolice! O assassinato de Marielle Franco em março de 2018 foi o grito de luta que toda a comunidade LGBT ouviu com clareza sendo convidado a luta. Marielle, infelizmente, se tornou ícone de resistência pela liberdade de ser, de amar e de lutar por uma sociedade menos desigual e desumana. Sua história ganhou o mundo, seu nome foi lembrado, seu rosto estampou debates e sua trajetória lembrou a comunidade LGBT a se inspirar e não baixar a guarda ao preconceito