Case sim!

Aí, você fica de boca aberta porque a chave que você tem do seu apartamento não abriu a porta e, descobriu pelo seu cunhado que, a fechadura foi trocada pela família.

Como assim? Não posso entrar na minha casa?

Não, não pode! O apartamento está no nome do seu marido, as contas de condomínio, luz, gás, TV a cabo, tudo está no nome dele e, você que nunca quis se casar com ele porque não precisava, não tem nada no seu nome que prove neste momento que o apartamento também é seu.

A família dele, que você achava que também era sua, fez uma gentileza, separou as suas roupas e seus sapatos e pôs em sacos de lixo preto para você retirar com o zelador do prédio. 

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Um vazio te acomete e você começa a pensar se está ficando doido ou se o mundo está acabando. Sim, Bibi, o mundo acabou para você! 

Aí, começam a vir na sua cabeça todas as vezes em que o seu marido pediu e implorou que você fosse com ele no advogado para fazer seu testamento. Você dizia sempre: nem quero pensar nisso! Você não vai morrer! E não é que a bicha morreu? E você, do alto da sua prepotência, achando que ninguém morre, começa a experimentar o amargo fato de que você não tem mais nada; nem marido e nem casa!

Seus amigos vão te acudir e lembrar como a família dele sempre foi interesseira e você nunca quis ver. Na sua infantil concepção de família, eram apenas rusgas que às vezes as famílias têm mesmo. Não querido, você estava errado. Ninguém aceitava a relação de vocês mas, agora estão todos ávidos pelo dinheiro que seu marido produziu com você e, vão te jogar para escanteio. Seus amigos vão te indicar um advogado e ele vai ter que propor uma ação para por você de volta dentro da sua própria casa.

Vai dar um trabalho enorme, vai custar caro e, tudo porque você não quis fazer testamento enquanto ele estava vivo.

Ninguém precisa ser rico para fazer um testamento. 

Testamento é a coisa mais banal e mais corriqueira que um advogado pode fazer por você e, vale cada centavo do dinheiro que você pagou por aquele papelzinho. Aquele papelzinho vai garantir a sua viuvez e sua velhice e principalmente: seu sossego.

Nós, latinos, temos pavor da morte. Achamos que se não falarmos de morte, ela não vai acontecer. Mas Bibi, te falo de novo: acontece e muito mais frequentemente do que a gente pensa: seja natural ou por homofobia. Morremos aos montes diariamente.

O testamento, depois do novo Código Civil de 2012, ficou muito mais simples de ser feito. Antes, pelo código anterior, muitas formalidades e custos eram empenhados num testamento que na maioria das vezes, só podia ser feito por um tabelião.

Hoje, os testamentos particulares, que são os feitos por advogados para os seus clientes, podem conter tudo o quanto vocês necessitam para tocar a vida enquanto viúvos. 

Tanto você como ele devem fazer testamentos. Não importa se não há um monte de imóveis e muito dinheiro. Basta que no testamento se diga que vocês tinham uma relação estável (se não eram casados) e, por conta disso, deixam isso e aquilo um para o outro. A pensão por morte também pode ser especificada no testamento e facilita muito o seu trabalho na hora de ir ao INSS ou qualquer outro órgão público, pleitear como viúvo seu direito à pensão. Os móveis, os quadros, a bicicleta, tudo pode constar do testamento para que você não fique a pé na hora de voltar pra casa depois do velório.

Só se lembre que – ao contrário do que muitos pensam – o testamento somente dispõe a vontade do defunto quanto aos seus bens e para quem eles vão ficar. O inventário vai ter que ser feito de qualquer jeito e, até isso pode estar no testamento; quem será o inventariante e quem vai tomar conta do inventário enquanto ele se processar em juízo com a família se matando com você para tomar tudo o quanto era do seu marido que vivo, era uma bicha que eles não aceitavam mas morto, era o filho querido, o tio amado, o irmão mais chegado… (continua na parte III)