O Conselho Monetário Nacional fez muita propaganda de sua decisão de limitar os juros do cheque especial a 8% ao mês.

Tem muita coisa ruim escondida na bondade.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Primeiro, o limite de 8% é ao mês e, ninguém te explicou que a taxa anual é de mais de 151%! Isso mesmo, se você dever o cheque especial por um ano e seu débito for inicialmente de um mil reais, no final de doze meses, você vai dever dois mil e quinhentos reais.

Ah, mas você vai dizer: abaixou e isso já é grande coisa.

E eu responderei: no Brasil, temos somente pouco mais de seis grandes bancos, em outros países, como por exemplo os Estados Unidos, são mais de 14.000, sim, catorze mil bancos diferentes.

Sem concorrência, não há como fugir deles e de suas tarifas. A maioria dos bancos brasileiros têm lucros astronômicos porque todas as despesas operacionais, inclusive funcionários, luz, água, aluguel de imóveis e etc, são pagos com as tarifas que eles cobram do cliente sem mesmo o cliente pedir.

VEJA TAMBÉM:  Para quem ficam nossos bens quando morremos? | Direitos LGBT

No caso do cheque especial, o CMN limitou os juros a 8% ao mês mas, permitiu que os bancos cobrem uma taxa de 1,25% do limite que ele lhe dá de cheque especial, ainda que você não use esse cheque especial.

Eles agora vão ganhar, além da tarifa de adiantamento ao depositante, essa tarifa de cheque especial mesmo que você não o use. Ganharão simplesmente para disponibilizar o serviço para você.

No meu entender isso é absolutamente inconstitucional porque a Constituição diz que o Estado vai promover políticas de atendimento ao consumidor e, isso não é politica de atendimento mas, sacanagem mesmo. Até porque, esse item das tarifas não foi informado para ninguém.

Como todos estamos em crise, quase todo mundo que tem cheque especial o usa mas, se você não usar, não deve pagar por ele. E, ainda que o use, os juros já remuneram aquele dinheiro que o banco pôs à sua disposição.

VEJA TAMBÉM:  Defensoria faz mutirão para troca de nome e gênero de população trans em Salvador

Ficou igual ao frango de padaria: o fato de o padeiro colocar o frango assado à sua disposição, ainda que você não o compre, vai te obrigar a pagar a taxa do frango, entendeu???

Depois, reclamam que o Judiciário não anda. Eu vou propor a minha ação contra isso, logo, logo.