Case sim!

Você está morando de favor na casa de amigos enquanto a sua casa está sendo pilhada pela família de seu marido. Você não fez e não deixou seu marido fazer o testamento, lembra?

Agora você está se mortificando porque sempre foi muito prepotente em relação à morte, achando que tinha controle sobre ela ou, que não falando sobre ela, ela nunca viria para ninguém na sua casa.

Você procurou o advogado e ele disse que o processo de reintegração de posse da sua casa precisa de muitas provas que estavam justamente dentro da sua casa e, você está desesperado. Ele também já te alertou que o processo de inventário vai começar sem você como viúvo e vai precisar de um novo processo que é o de habilitação de herdeiro.

Ufa! Que confusão: você está perdido com tanta coisa que, poderia ter sido evitada com um simples, um tolo pedacinho de papel que você se recusou a fazer, chamado testamento.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O inventário começou e os parentes do seu marido, os pais se ainda estiverem vivos ou o irmão mais velho, já são os inventariantes e, estão na posse do Espólio que é o conjunto de bens deixados pelo seu marido. Mas, espera aí; metade de tudo isso é seu!!!

Eles não estão nem aí porque não estava no seu nome…

Você não fez a p***a do testamento! Agora você está com raiva e, daí desse sentimento é que você vai tirar forças para lutar. Deixa de ser a Bibi viúva que está só chorando e se lamentando. Alice, teu vestidinho tá pegando fogo!!!

Corre no escritório do seu advogado especializado em direito de família (não procure um trabalhista para isso), inventário é coisa séria e complicada. Todo mundo acha que sabe fazer inventário mas, é muito específico e não deve ser feito por quem não entende.

Junte fotos, junte documentos, se habilite como herdeiro e marido que você era e, faça valer seus direitos.

A família vai espernear, dizer que você era um caça dotes, que nunca houve uma relação estável, porque se você provar isso, você será tão herdeiro quanto os filhos dele e, se não houver filhos, será tudo seu.

Passada a fase de habilitação, você foi colocado como viúvo, vamos ao inventário.

O inventário é em direito, exatamente o que é em contabilidade: um inventário! Somam-se dívidas, somam-se os bens e o que sobrar é o que chamamos de monte partível. Pagam-se os impostos devidos ao Estado e, pronto, a partilha foi homologada.

Se você era casado ou tinha um testamento, não teria precisado de nada disso. Era abrir o inventário como viúvo, receber a metade do seu marido e, juntá-la com sua metade e pronto.

Estou falando aqui, para o caso de seu marido não ter filhos. Se havia filhos e descendentes, você será herdeiro junto com eles da parte dos bens que pertenciam ao seu finado marido.

Pense bem nesses três artigos dessa semana. Bibi, você morre, as pessoas morrem e, os que ficam, estão sempre de olho nos bens do defunto. Como a gente – advogados de família – costuma dizer, herança é aquilo que o morto deixa para que os vivos se matem por ela. Case sim, e se não casar, faça testamento.