Criado em 1950, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária é uma organização não governamental que visa evitar a veiculação de peças publicitárias e campanhas cujo conteúdo seja nocivo, preconceituoso, desrespeitoso com o consumidor ou, uma determinada faixa de consumidores. O Conselho tem sede em São Paulo mas, atuação em todo o território nacional.

O comercial do sorvete Magnum cujo artigo do Pedro HMC está aqui no site, teria seus dias contados no Brasil. O Conselho age a partir de representação feita pelo ofendido, diretamente no site www.conar.org.br e, mediante a reclamação do consumidor ou de qualquer pessoa que se sentir mal em qualquer sentido em relação a peças publicitárias, vai analisar a reclamação e, eventualmente até tirar a propaganda do ar.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O conselho não tem poder de polícia mas, suas decisões, dado que é um órgão colegiado formado por publicitários, advogados e pessoas da sociedade em geral, e é um órgão de auto disciplina, ou seja, qualquer agência de publicidade está representada no CONAR e, por conta disso as decisões éticas do conselho lhe afetarão.

VEJA TAMBÉM:  Presidente do congresso da Índia promete descriminalizar sexo gay no país

O CONAR já foi muito utilizado antigamente mas, como tudo na sociedade, a evolução veio e, ultimamente tenho visto muito pouca interferência do CONAR nas propagandas por conta de não serem mais praticados abusos em relação a consumidores ou minorias ou, engodos em relação ao consumidor.

Se você se sentir atingido ou ofendido por qualquer propaganda, recorra ao www.conar.org,br e faça sua reclamação, você vai ser informado de todos os passos e, o resultado será efetivo.