Casamentos abertos, ou seja, aquele em que os parceiros se permitem ter relações sexuais fora do casamento, pode ser até bom para alguns casais mas, no Código Civil Brasileiro, isso é causa de desfazimento do vínculo legal.

Até 2002, vivíamos com um Código Civil que tinha sido escrito em 1916 e, por conta disso divórcio, casamento e alimentos eram vistos de outra maneira pela lei civil.

Depois de 2002, permanece ainda a obrigação de alimentos ao cônjuge que foi responsável pela separação judicial por descumprimento do dever conjugal de fidelidade ou lealdade na união estável.

Foi o Supremo Tribunal Federal quem decidiu e, depois o Conselho Nacional de Justiça quem regulamentou, o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

Isso foi uma conquista para a comunidade LGBT mas, cuidado! Alguns casamentos são abertos pelos cônjuges e, isso não é – diante da lei vigente – uma coisa permitida. Na verdade não é proibido mas, se você descumprir os deveres do casamento que são: lealdade, respeito e assistência, e de guarda, sustento e educação dos filhos,  você estará quebrando um dos deveres do casamento que, seu cônjuge poderá alegar como motivo da separação posteriormente e, se você for julgado culpado estará obrigado a prestar alimentos àquele cônjuge, para o resto da vida.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Nem tudo está perdido porque a lei determina que dentre as despesas constantes destes alimentos são as mínimas de sobrevivência mas, dependendo do nível de vida do casal estes alimentos podem sair caros.

Assim, certifique-se de que quando for ter um casamento aberto com seu cônjuge, isto seja de conhecimento público e, primordialmente, com consentimento mútuo para que depois ninguém alegue este fato para sair de vítima no casamento.

Nossos direitos foram conquistados a duras penas mas, com eles vieram também os deveres…