Neil Patrick Harris, que estrela o novo drama sobre a epidemia da AIDS, It’s a Sin, foi questionado sobre o assunto depois que Russel T Davies – escritor e criador da série – opinou que escalar atores queer para papeis queer adiciona autenticidade.

Em uma entrevista para o The Times, Harris disse: “Penso fortemente que se eu escalar alguém para uma história, estou escalando-o para agir como um amante, ou um inimigo, ou alguém que usa drogas ou um criminoso ou um santo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Eles não estão lá para ‘agir como gays’ porque ‘agir como gay’ é sobre um monte de códigos para uma performance. Você não escalaria alguém saudável e o colocaria em uma cadeira de rodas? A autenticidade está nos levando a lugares estranhos”, diz o ator.

Neil Patrick Harris continua: “Eu não sou do tipo que pula na etiquetagem. Como ator, você certamente espera ser uma opção visível para todos os tipos de papéis diferentes. Eu interpretei um personagem em ‘How I Met Your Mother’ por nove anos que não era nada como eu. Eu definitivamente gostaria de contratar o melhor ator”.

VEJA TAMBÉM:  Dan Levy fala sobre luta contra ansiedade e como isso o impediu de se assumir

Harris então usou os papéis de Aiden Gillen, Craig Kelly e Charlie Hunnam como gays na série clássica de Davies, Queer as Folk, como exemplo. “Foi um dos verdadeiros pontos de virada para mim como exemplos de caras sexy se comportando como protagonistas em algo importante, não como companheiros cômicos”, disse Harris.

Neil Patrick Harris explica sua teoria sobre personagens

“Acho que há algo sexy em escolher um ator heterossexual para interpretar um papel gay, se eles estão dispostos a investir muito nisso”. Neil Patrick Harris acredita que Davies não é unilateral sobre o debate e que seus comentários anteriores foram “falando mais sobre a alegria de ser capaz de ser autêntico”.

Davies acrescentou em sua entrevista: “Eu não me importo que um ator gay faça um hetero. Porque a partir dos oito anos, os gays aprendem a se encaixar no mundo hetero e a agirem hetero. Isso é algo que conhecemos profundamente em nossos corações. Então, se você quer uma ótima atuação, escolha um ator gay como um homem hetero porque ele está estudando como os homens heterossexuais se comportam por um longo tempo”.

VEJA TAMBÉM:  Estrela de 'Bridgerton' diz que foi orientado a não revelar sua sexualidade

It’s a Sin traz um grupo de amigos na Londres dos anos 1980 que cresceu à sombra da epidemia de HIV / AIDS. O vocalista de Years & Years, Olly Alexander, lidera o elenco como Ritchie Tozer, de 18 anos, junto  Neil Patrick Harris, que deixa a casa de sua família na Ilha de Wight para se mudar para o Big Smoke em busca de fama e sucesso.