A jovem Náthalei de Oliveira, 24 anos, se prepara para participar do Miss Brasil e será a primeira vez na história, que o concurso Miss Rio de Janeiro terá uma candidata transexual; se vencer a etapa estadual, a mesma se classifica para o Miss Universo.

Nascida em Sumidouro, no interior do estado, ela morou a maior parte da vida em Bom Jardim, a cerca de três horas do Rio, onde ainda reside. Náthalie é estudante de Enfermagem, curso que trancou temporariamente para se dedicar aos concursos, e hoje atua como modelo e YouTuber, à frente do canal Princess Online.

Ao ser coroada no Miss T Brasil em 2015, Náthalie ganhou os holofotes e representou o país no Miss Internacional Queen 2016, em março de 2017; garantindo a segunda colocação. Ainda em 2016, realizou a cirurgia de redesignação, na Tailândia.

Em seu perfil do Instagram, a bela anunciou sua candidatura em uma postagem. “Com muito carinho e calor no coração que venho incendiar a timeline de vocês. Pois bem, se preparem porque vai ter mulher transexual no Miss Rio de Janeiro sim“, escreveu. “Vocês sabem a minha trajetória no mundo Miss e o quanto me dedico a representar todas as mulheres de nosso país. Dessa vez, não será diferente.

Com transmissão ao vivo pelo YouTube, a etapa local do Miss Universo será na noite do dia 26 de janeiro, com 15 misses na disputa.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

As outras candidatas são: Lana Silva (representando Angra dos Reis); Isadora Meira (Barra Mansa); Kathllen Silva (Búzios). Marcelle Sinhorinho (Cantagalo); Karine Matos (Duque de Caxias); Thayana Stocco do Amaral (Itaboraí); Daniela Magalhães (Rio de Janeiro); Milena Freitas Loiola Azevedo (Niterói). Adriana Yanca (Nova Iguaçu); Esthefane  Souza (Resende); Stephanie Verissimo (Rio das Ostras); Raquel Vieira Garcia (São Pedro da Aldeia); Thainá Oliveira (Teresópolis); e Melissa Amorim (Volta Redonda).

No ano passado, Angela Ponce fez história ao ser a primeira candidata transgênero a participar do Miss Universo, nos 66 anos do evento, representando a Espanha. A organização do concurso acabou com uma proibição a candidatas transgênero em 2012.