Acompanhando a mesma opinião que a Associação de Psicologia Americana, a Associação Médica Americana emitiu um comunicado contradizendo o presidente americano Donald Trump, que demitiu milhares de soldados transgêneros das forças armadas dos Estados Unidos alegando que eles não eram “capazes” o suficiente, além de gerarem inúmeras despesas médicas (o que também foi desmentido, o gasto do governo com despesas médicas é comparável ao de outros soldados cisgêneros, a diferença não chega a 1% do total que o governo gasta com a saúde dos soldados no geral).


Assista também:


Em carta aberta ao secretário de defesa do governo Trump Jim Mattis, a Associação Médica Americana, afirmou que não existe qualquer razão médica ou biológica que impeça pessoas transgênero de estarem nas forças armadas.

“Estamos escrevendo para expressarmos nosso repúdio a medida do Presidente Trump, que impediu o trabalho de indivíduos transgêneros que servem as forças armadas do nosso país. Esta nova política e afirmação de que estas pessoas não são qualificadas o suficiente para o serviço, excede os limites de qualquer bom senso. Estudamos o assunto, sabemos que não existe qualquer razão para se excluir pessoas trans do serviço militar. Transgêneros sempre serviram e continuarão servindo nosso país com honra, e acreditamos que deveriam continuar tendo este direito.”

[xyz-ihs snippet=”VEJA-TB”]
[embedyt]https://www.youtube.com/watch?v=-OG_bDUyyo4[/embedyt]


E a carta continua sambando na cara do transfóbico Donald Trump: “A AMA apoia publicamente e particularmente pessoas com disforia de gênero (nome clínico da transexualidade) há muitos anos. Toda nossa pesquisa até hoje mostra que estes indivíduos não apresentam qualquer razão médica para serem excluídos desta forma.”

Já sobre os custos médicos de hormonização e transição de gênero, eles afirmam: “Após anos de pesquisa, já é um consenso de que a adaptação do corpo é o caminho e não há nada de errado. A ciência é clara e indivíduos que tem disforia de gênero e passam por tratamento, costumam em maioria esmagador, encontrar finalmente paz psicológica e muito mais saúde e bem estar após o processo sem qualquer desordem mental ou de saúde que os impeça de exercer qualquer função.”

A carta ainda conclui lindamente afirmando: “Não há razão para o veto que só aumenta o preconceito e estigma que sofrem estas pessoas. Além de tudo, o número de indivíduos trans proporcionalmente é extremamente pequeno comparado ao restante da população.”

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).