Mais um caso de transfobia contra mulheres trans, mas dessa vez parece que a coisa se reverteu. Tamzin Lush, 29, Tylah-Jo Bryan e Amarnih Lewis-Daniel, atacaram um homem identificado apenas como Al Shaheeb, depois que ele disse que elas precisavam da genitália feminina para serem mulheres.

Segundo o Metro, o caso aconteceu perto da estação de metrô Leicester Square, em Londres. Lush o derrubou no chão antes que as outras duas, que estavam bebendo nas proximidades, continuassem a golpeá-lo logo após as 2h do dia 24 de junho de 2018.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

 

O homem havia abusado racialmente de Bryan, chamando-a de “boceta black”, e se recusou a cooperar com a polícia ou dar-lhes uma declaração após o ataque, disse a promotora Jacinta Stringer.

Ela disse: ‘Bryan, quando foi entrevistada, descreveu que houve uma conversa com esse jovem em que ele se virou e disse:” Você não é uma mulher – você precisa de uma bunda para ser mulher “.

VEJA TAMBÉM:  Censura! Crivella pede que Bienal do Rio tire de circulação HQ de Vingadores com beijo gay

O trio de mulheres trans se confessou culpado de desordem violenta e foi condenado a um toque de recolher noturno de seis meses. Lewis-Daniel recebeu 20 dias de reabilitação obrigatória, incluindo terapia de controle da raiva. Tylah-Jo Bryan também recebeu uma ordem de serviço comunitário de 12 meses.

O juiz Nigel Seed disse às mulheres trans: “Vocês quatro foram submetidas a abusos transfóbicos e raciais extremamente ofensivos. Se não fosse por isso, não teria havido desordem violenta, no entanto, isso não desculpa o que você fizeram”, sobre o espancamento ao homem.

“É um sinal de que a chamada vítima percebeu o quão errado estava ao se recusar a cooperar e não fazer qualquer declaração. Não concordo, de forma alguma, com o seu comportamento, mas aceito que o que aconteceu com ele foi totalmente errado”. As mulheres trans envolvidas não deram declarações à imprensa.

VEJA TAMBÉM:  Ativista britânica tenta protestar contra LGBTs na Disney e acaba sendo banida dos EUA