Um homem que fazia parte de uma gangue que espancou brutalmente, torturou e estuprou uma mulher trans foi preso pela polícia de Chunian, no Paquistão.

Na capital, Punjab, imagens de vídeo surpreendentes do ataque do Sohana estremeceram as redes sociais. Ele mostrava a vítima amarrada de cabeça para baixo, pendurada por uma corda no teto enquanto homens a espancavam violentamente com pedaços de pau.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Horas depois que o vídeo da mulher trans sendo violentada se tornou viral e a polícia local anunciou na quinta-feira (24 de dezembro) ter prendido novamente um homem que supostamente é membro da gangue. A vítima tem identificado membros da gangue enquanto a polícia conduz uma série de operações, informou o Geo News.

Sohana explicou, de acordo com um primeiro relatório de informação apresentado à Delegacia da Cidade de Chunian, que ela havia sido convidada para dançar em um casamento há dois meses. Mesmo assim, quando ela chegou, os homens a atacaram, amarrando-a e a estuprando em grupo por três dias.

VEJA TAMBÉM:  Professor transfóbico é demitido após dizer que "masculinidade tóxica é realidade biológica"

Mulher trans relata caso na polícia mas não obteve ajuda de início

Ela disse que a polícia primeiro descartou seu caso, mas o reabriu depois que uma filmagem forneceu uma base de evidências para o caso, anunciou a ministra federal de direitos humanos Shireen Mazari no Twitter.

A principal queixa do primeiro relatório de informação, disse Mazari, alegava que ela havia sido “torturada” pelos homens. “A vítima apresentou uma nova queixa”, continuou ela.

O caso de Sohana espelha vários outros casos de mulheres trans sendo alvos de gangues implacáveis que agem quase sempre da mesma forma – as mulheres são atacadas, às vezes com uma arma, torturadas e estupradas.