Uma mulher trans em Tbilisi, capital da Geórgia, ateou fogo em si própria em um ousado protesto contra o tratamento de pessoas trans no país durante a pandemia do coronavírus.

Madona Kiparoidze colocou fogo em si mesma em frente à prefeitura da capital na quinta-feira, 30 de abril. Ela foi perseguida pela polícia, segundo o Planet Transgender, que removeu suas roupas flamejantes e depois a prendeu.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Depois de detida, ela gritou: “Sou uma mulher trans e estou me incendiando porque o estado da Geórgia não se importa comigo”.

Mais tarde, ela foi levada ao hospital por uma ambulância, mas teria se comunicado com outras pessoas desde então e disse que não tem ferimentos com risco de vida.

Tamaz Sozashvili, co-fundador do Tbilisi Pride, escreveu no Twitter: “Hoje, uma mulher trans tentou cometer um suicídio em frente à prefeitura de Tbilisi para protestar contra a imobilidade e a ignorância [do governo da Geórgia] em relação a eles durante o COVID-19 crise. E concluiu: “As pessoas trans estão entre os grupos mais vulneráveis ​​da Geórgia.”

VEJA TAMBÉM:  Felipe Neto arrasa ao defender LGBTs de fanáticos religiosos no Twitter

A Geórgia apenas permite que pessoas trans mudem de gênero nos documentos se passarem por cirurgias que nem todas podem arcar ou mesmo desejam. Muitas pessoas trans também não conseguem encontrar trabalho devido ao preconceito.

O Grupo de Apoio a Iniciativas Femininas (WISG) da Geórgia divulgou em março um comunicado sobre como as mulheres trans estão sendo afetadas pela pandemia de coronavírus especificamente.

A declaração pedia ao governo: “Considere as mulheres envolvidas no trabalho sexual, especialmente as transgêneros, como um grupo de necessidades especiais e ajude-as de acordo com suas necessidades, pois a maioria delas não tem apoio moral e financeiro de suas próprias famílias.

VEJA TAMBÉM:  Casal de lésbicas - que inclui uma brasileira - é agredido na Parada LGBT de Amsterdã

E conclui: “Além disso, muitos deles vivem com aluguel, que não podem cobrir e não podem dar ao luxo de satisfazer suas necessidades básicas em condições de distanciamento social devido à especificidade de seu trabalho.”

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).