O operador de teleatendimento Kevin Silva denunciou à polícia um ataque homofóbico sofrido na tarde de ontem (12) em um ônibus da cidade de São Paulo. Em um vídeo publicado no Instagram, o rapaz flagrou o momento em que o condutor tenta impedir que ele continue filmando.

“Esses gays não respeitam mais ninguém, nem no ônibus a gente tem sossego”, teria dito o motorista que aparece uniformizado e utilizando a máscara de proteção contra a Covid-19 no queixo, quando Kevin aponta a homofobia. ““Motorista tá dando um show de homofobia”. As imagens não flagraram o momento das ofensas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em entrevista a G1, o passeiro afirmou que o motorista teria se incomodado com seu estilo. “Uso cabelos compridos com tranças e roupas curtas. Às vezes, uso unhas postiças coloridas, então para mim ficou claro que ele estava sendo homofóbico comigo, eu estava sendo vítima de homofobia naquele momento”, declarou Kevin.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Kevin Silva (@keevinv_)

A vítima afirmou que tentou pedir que o motorista o respeitasse. “Falei: o senhor tem como me respeitar e parar com essa homofobia toda? Aí ele começou a gritar algo e fazer um monte de coisa. Aí nisso eu comecei a gravar”. Ainda segundo Kevin, foi que foi neste momento que o motorista passou a agredi-lo.

VEJA TAMBÉM:  200 estudantes protestam contra escola que tentou proibir relacionamento lésbico

“Assim que ele deu o tapa no meu celular, veio para a agressão. Me empurrou o rosto contra a porta do ônibus, deu socos, chutes, puxou meus cabelos para arrancar meus apliques. Os outros passageiros depois apartaram e me colocaram para fora do ônibus” 

A SPTrans, empresa responsável pelas linha de ônibus da capital paulista, se manifestou por meio de nota. A organização informou ao G1 que repudia qualquer ato de violência nos transportes públicos e encaminhou o vídeo para que a empresa responsável pela linha identifique o motorista.