Um motorista do aplicativo Uber compartilhou por whatsapp um vídeo em que “denuncia” um passageiro que, supostamente, teria tentado tocar em seu pênis, segundo o próprio fala, aos berros, no vídeo publicado pela página Figuras Públicas.

No vídeo, o homem diz: “Escuta aqui, botei você pra descer, porque tava tentando pegar no meu cac*** você tava pegando sim, eu falei pra você, eu não curto, eu tentei explicar, agora você fica tentando pegar no meu pa*** rapaz”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O rapaz, já fora do carro, tenta impedir a gravação, mas desiste, o motorista do Uber continua: “eu falai com você na maior educação, eu falei que eu não curto via***, agora vai ficar aí me prejudicando na plataforma, tenha vergonha na sua cara”.

Não sabemos a origem do vídeo, nem o nome dos envolvidos, mas vale ressaltar que toda forma de assédio ou tentativa de tocar partes de uma pessoa sem autorização da mesma é crime. Mas também configura crime de ódio filmar e tronar público cenas de ofensas LGBTfóbicas independentemente da situação, que pode ser resolvida por vias legais.

VEJA TAMBÉM:  Suíça aprova a criminalização da LGBTQfobia