Nesta semana, Thaiz Andrade, de 37 anos, acaba de fazer história se tornando uma das primeiras mulheres trans do Brasil, a entrar em uma faculdade pública para cursar medicina. A informação foi divulgada por meio do portal G1.

A mineira, que conseguiu sua vaga através de muito esforço e com a ajuda do sistema de cotas, já tem seu lugar garantido na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

“Quando vi o resultado [da Ufba] fiquei sem dormir três dias”, relatou Thais, em entrevista ao portal. Segundo ela, esse já era seu terceiro ano tentando conseguir uma vaga. “Quero que diante da minha escolha outras pessoas trans se encorajem e voltem a estudar. Acredito que a educação é a maior porta para um futuro melhor para todos”, destacou.

Vale ressaltar que, por meio do sistema de cotas, a universidade terá neste ano, 22 pessoas trans matriculadas nos mais diversos cursos. “Este é o primeiro ano das cotas para pessoas trans e refugiados. Estamos muito satisfeitos com o primeiro resultado. Já é um avanço e a expectativa é de que cresça no ano seguinte. A universidade renova o compromisso com os Direitos Humanos e dá visibilidade social, demonstrando que 22 pessoas trans querem estudar, quebrando aquele preconceito de que as pessoas trans querem se prostituir”, destaca o pró-reitor de graduação, Penildon Silva.

Thaiz Andrade, estudante de medicina da UFBA — Foto: Maiana Belo/Reprodução – G1

É importante lembrar que, no Brasil, a população trans vive, muitas vezes, em uma situação de invisibilidade social. Por isso, investir em políticas públicas que incentivem e proporcionem dignidade para essas pessoas é fundamental e necessário.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA: