Mesmo com forte chuva, o público compareceu em peso na 24ª edição da Parada LGBTI+ do Rio de Janeiro. Sem se importar com o tempo chuvoso, a comunidade mostrou resistência e foi às ruas da capital carioca.

No evento, houve críticas aos governos do presidente Jair Bolsonaro, do governador Wilson Witzel e do prefeito Crivella, que tentou censurar há menos de 1 mês, um HQ na Bienal do Livro, por causa de um beijo entre dois personagens masculinos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“A parada LGBT do Rio é um momento histórico. Faz parte do calendário de lutas da cidade. É muito importante que tenha tanta gente LGBT que consiga ocupar as ruas e esse está com um discurso muito politizado, todas as falas estão sendo contra o governo Bolsonaro, contra o governo Witzel, contra o governo do Crivella”, disse a estudante de História Ana Beatriz Duarte, em entrevista à revista Fórum.

VEJA TAMBÉM:  Profissionais de saúde pública recebem curso pra atender população trans na baixada fluminense