Após sair do armário, o astro do basquete argentino, Sebastián Vega, relatou à revista Reuters como se sentiu quando falou abertamente sobre ser gay pela primeira vez.

O atleta joga em uma das principais ligas de basquete da Argentina, o Gimnasia y Esgrima de Comodoro, e se tornou o primeiro jogador da Liga Nacional da Argentina a se assumir publicamente da comunidade LGBT+.

O jogador conta que “teve um momento muito ruim” quando começou a se sentir atraído por outros homens e que sentiu “vergonha, culpa, muita rejeição, mas ao mesmo tempo o desejo de estar com alguém”.

Apesar de ficar muito assustado no início, o atleta de 31 anos conta que ao sair do armário teve a sensação de ser “verdadeiramente livre” e que  “fazia muito tempo desde que eu andava sem um peso tão imenso sobre meus ombros”.

Outra dificuldade encontrada por Vega foi em relação aos pais. Ele conta que eles relutaram muito em aceitar a sua sexualidade, com medo de que o filho sofresse por isso. Outro obstáculo no caminho foi o ambiente esportivo, que ainda é muito fechado para a diversidade sexual. “Ainda é um tópico tabu na Argentina. É muito difícil dizer que você é gay… você tem que ser masculino para não ser visto como inferior”, revela.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ele acredita que se tivesse saído do armário há seis anos atrás a sociedade não estaria pronta, mas que os argentinos estão ficando mais conscientes dos direitos e questões LGBT+. “Isso [a saída do armário] pode ajudar as coisas a melhorarem. Portanto, em um futuro não muito distante, acredito que ser gay não vai mais ser uma novidade”, relata.

Foto: Divulgação/ Instagram