O ex-fazendeiro Mateus Carrieri destacou a importância da tolerância ao fazer um vídeo defendendo a comunidade LGBT.

O artista, de 53 anos, fez a postagem em resposta às críticas que recebeu por exibir uma meia com as cores do arco-íris, um dos símbolos da causa. O ex-participante de “A Fazenda 12” negou as afirmações de que estaria usando o acessório para “ganhar likes”, contando que suas filhas, de 14 e 13 anos, são bissexuais. Pessoal fala demais, né?

“Vou contar uma coisa pra vocês, autorizado por elas, pelas minhas filhas: eu tenho duas filhas, uma de quase 15 e outra de quase 14. Vocês viram como eu falei delas lá em ‘A Fazenda’, né? Como eu senti falta delas. E porque eu senti falta delas? Por que eu tenho o maior orgulho dessas duas meninas. A Chiara e a Francesca. Ficaram famosas, né? E ainda tem o Caíque, que tem 36 anos”, detalhou Mateus no vídeo postado no IGTV, em sua conta do Instagram.

“E a Chiara e Francesca são bissexuais, e aí? Qual o problema, hein? Tenho o maior orgulho delas. O que importa é o caráter delas. É que elas são meninas fantásticas, que não têm preconceitos e que lutam contra a homofobia, lutam contra o machismo, e elas estão me ensinando a não ser machista, a não ter comportamentos, às vezes até sem querer, homofóbicos”, desabafou em defesa das filhas.

Carrieri, que atuou em “Chiquititas” no dos anos 1990, afirmou ainda que continuará usando os acessórios em apoio a causa LGBT, criticando ainda os “haters” em suas publicações sobre o assunto, destacando “não precisar desses seguidores”. Eita!!!

“Esse post nada mais é do que dizer para elas, para as minhas filhas, que está tudo bem, que eu tenho o maior orgulho delas. E que eu as amo porque elas são fantásticas. Se eu perder seguidores por que esses seguidores são preconceituosos, acho que é até uma vantagem pra mim, não preciso desses seguidores. Haters que se fala, né? Então, não preciso desses haters”, falou o artista.

Carrieri fala sobre pais aceitarem e compreenderem seus filhos

“De maneira nenhuma eu quis forçar uma simpatia ou quis levantar uma bandeira pra ganhar seguidores, eu quis mostrar para a minha família que está tudo bem elas serem bissexuais. Não tem o menor problema. Espero que outros filhos e pais tenham esse mesmo entendimento, porque o que importa é o amor, o caráter, as boas atitudes”, finalizou ele, relatando sobre a importante aceitação que deve ter dentro de casa.

Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.