O East River State Park do Brooklyn, em Nova York, foi rebatizado e agora se chamará “Parque Marsha P. Johnson”, tornando-se o primeiro parque do mundo cujo nome é uma homenagem a uma pessoa LGBTQ+.

Conforme noticiado pelo Gay Times, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, fez o anúncio na segunda-feira, no que teria sido o 75º aniversário da ativista transgênero.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Muitas vezes são as vozes mais marginalizadas que impulsionaram o progresso em Nova York e em todo o país. E não são reconhecidas, constituindo apenas uma fração de nossos memoriais e monumentos públicos”, disse Cuomo em um comunicado.

E continuou: “Marsha P. Johnson foi uma das primeiras líderes do movimento LGBTQ e só agora está recebendo o reconhecimento que merece. Dedicar este parque estadual para ela e instalar arte pública contando sua história garantirá que sua memória e seu trabalho de luta pela igualdade vivam ”.

VEJA TAMBÉM:  Em vídeo, LGBTs históricos contam como aconteceu a 1ª Parada de SP em 1997; assista
Marsha P. Johnson and Sylvia Rivera to receive statue in NYC 50 years after the Stonewall Rebellion
Marsha P. Johnson e Sylvia Rivera, pioneiras na luta LGBTQ+.

Depois ele twittou que Nova York está “em dívida” com Marsha por sua “defesa corajosa e luta implacável pela igualdade LGBTQ”.

Marsha foi uma das figuras proeminentes no levante Stonewall de 1969, que foi o pontapé inicial da luta pelos direitos LGBTQ + nos Estados Unidos e em todo o mundo.

Ela dedicou sua vida como uma defensora das pessoas trans negras e estabeleceu a STAR (Street Transgender Action Revolutionaries) ao lado da ativista Sylvia Rivera para ajudar jovens transgêneros sem-teto na cidade de Nova York.

Marsha e Sylvia também serão imortalizadas em um monumento que será construído no Triângulo Ruth Wittenberg em Greenwich. A obra tem previsão de ser concluída em 2021.

Parque Marsha P. Johnson ainda ganhará monumento em homenagem à ativista LGBTQ+.

“O movimento LGBTQ foi retratado em grande parte como um movimento masculino gay branco”, disse Chirlane McCray, a primeira-dama de Nova York. E completou: “Este monumento vai contra essa tendência de encobrir a verdadeira história.”

VEJA TAMBÉM:  Polícia de NY ataca manifestantes durante marcha do Orgulho LGBT+

Al Michaels, sobrinho de Marsha, disse que ela “zombaria” da ideia de uma estátua de si mesma, mas ainda ficaria extasiada com o fato de Nova York estar construindo um monumento para uma mulher trans negra e “levando o mundo para o futuro”.

Assista abaixo ao vídeo do Põe Na Roda entrevistando uma ativista LGBTQ+ que hoje tem 75 anos e esteve em Stonewall junto de Marsha:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).