Uma nova pesquisa foi realizada pela Secretaria Penitenciária de São Paulo para levantar a população carcerária LGBTQ+ dos presídios estaduais. Segundo o levantamento, das 232.979 pessoas presas, 5.680 se identificaram como LGBTQ+, ou seja, 2,4% do total.

Os dados ainda apontam que 869 (0,37%) se identificam como transexuais e a grande maioria prefere ficar nos presídios de seu gênero de origem, ou seja, a maior parte dos homens trans (82,35%) preferem ficar na unidade feminina e 76,32% das mulheres trans preferem ficar na unidade masculina, talvez até por uma questão de segurança, uma vez que dificilmente teriam segurança e gênero respeitados em um ambiente hostil e ignorante nestes assuntos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  Pais de criança transgênero são denunciados por deixar filho usar roupas femininas

A pesquisa foi realizada por meio de questionários nos presídios estaduais de São Paulo e divulgada pelo jornal Folha de São Paulo.

Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.