Semana passada, noticiamos o lamentável suicídio do jovem gay Yago Oliveira, que não aguentou a pressão da família extremamente religiosa e preconceituosa que não o aceitava, e acabou se matando.

Pois bem, não bastasse o fato infeliz, a emenda se tornou pior do que o soneto. Segundo o site MixturandoWeb e também compartilhado pelo portal ParaMocinhos, perguntada após o acontecido, a mãe do garoto chegou a afirmar que o prefere morto do que estando vivo e em pecado.  Pelo visto, a alienação religiosa não a permitiu aprender nem mesmo da pior forma… ou o orgulho realmente era muito maior do que o amor, não é mesmo?

Em seu último post antes de cometer o suicídio, justamente, Yago comentou: “A vergonha da família sou eu pelo simples fato de ser gay, afinal, como eles dizem, ser gay é pecado, mas ser racista, corrupto, assassino, estuprador, pedófilo e não criar filhos tá de boa, o importante é não ser gay”.

A publicação já conta com mais de 50 mil compartilhamentos no Facebook. Veja o post na íntegra na notícia original do caso.

Veja também:

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:


Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).