O prefeito de Londres, Sadiq Khan, determinou em 9 de junho que a Comissão de Diversidade da cidade avalie as personalidades homenageadas com a estátuas, para evitar homenagens a pessoas com históricos vinculados ao racismo. Artes, nomes de ruas, murais públicos e qualquer outro tipo de homenagem também vão ser revisados.

De acordo com o site Estudos Nacionais, Khan explicou que no lugar desses monumentos serão homenageados figuras históricas negras, mulheres, LGBTs e deficientes.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“A diversidade de nossa capital é nossa maior força, mas nossas estátuas, nomes de estradas e espaços públicos refletem uma época passada. É uma verdade desconfortável que nosso país e nossa cidade devam grande parte de sua riqueza ao seu papel no tráfico de escravos e, embora isso se reflita em nosso domínio público, a contribuição de muitas de nossas comunidades para a vida em nossa capital foi voluntariamente ignorado”, afirmou Khan ao jornal Breibart News London.

VEJA TAMBÉM:  Marido de prefeito paulista, Max Souza, desabafa sobre racismo e homofobia

A decisão veio após a morte de George Floyd, assassinado por um policial branco. Os protestos contra o racismo se espalharam nos Estados Unidos e foram repetidos em outros locais do mundo. A derrubada e destruição de monumentos em celebração à figuras racistas é um das vertentes dos protestos.