O parlamento de Lisboa, capital de Portugal, aprovou uma resolução declarando Lisboa uma “Zona de Liberdade LGBTIQ” e repudiando a discriminação dos cidadãos LGBTIQ pela Polónia e a Hungria. O voto de  “da criação de zonas livres de cidadãos LGBTIQ na Polónia e Hungria” foi escrito pelos vereadores Manuel Grilo e Paula Marques.

O proijeto foi aprovado por unanimidade na pela Câmara Municipal de Lisboa. As informações são do Time Out. “Queremos uma cidade que respeita os valores do respeito pela dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de Direito e do respeito pelos direitos humanos”, defendeu o vereador Manuel Grilo, no Twitter.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Lisboa se declara zona de liberdade LGBTQIA+ na Europa
Lisboa se declara zona de liberdade LGBTQIA+ na Europa

Em março de 2019, uma região da Polônia se declarou como “área livre de LGBTQIA+”, o ato se expandiu para outras regiões do país e mais de 100 governos locais aderiram ao gesto homofóbico. A Hungria seguiu o exemplo da Polônia e a cidade de Nagykáta foi a primeira a proibir, em Novembro de 2020, a “disseminação e promoção da propaganda LGBTIQ”.

VEJA TAMBÉM:  País europeu libera doação de sangue a homens gays e bissexuais

Passado um mês, o parlamento húngaro aprovou emendas à Constituição que não reconhecem pessoas transsexuais e não-binárias.”As pessoas LGBTIQ em toda a UE devem gozar da liberdade de viver e mostrar publicamente a sua orientação sexual e identidade de género sem receio de intolerância, discriminação ou perseguição”, diz o comunicado emitido pelo Parlamento Europeu.