Um youtuber da Indonésia, Ferdian Paleka, juntou dois amigos para entregar caixas com comida estragada a mulheres trans em situação de rua. A “pegadinha” criminosa virou caso de polícia.

O youtuber gravou toda a ação com o celular, que ocorreu durante o período de isolamento social devido a pandemia do coronavírus. Ao receberem as caixas, que continham pedaços de tijolos e brotos de feijão podre, as mulheres ainda tiveram que ouvir insultos transfóbicos dos homens, que afirmava: “[pessoas trans] não obedecem ao governo então, não fale mal de nós. Nós só queremos ajudar o governo”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Sani, mulher trans de 39 anos, alvo da brincadeira cruel de Paleka, disse a repórteres que não esperava que alguém fosse tão impensado malvado o mês do Ramadã ou no meio da epidemia de coronavírus.

Dani, mulher trans de 56 anos, conta que se aproximou do carro de Paleka quando ele a chamou porque o viu distribuindo comida para outras pessoas. Quando abriu a caixa de macarrão, percebeu que estava cheia de concreto.

De acordo com o site The GailyGrind, Paleka foi preso e levado para a Divisão de Crimes Especiais da Polícia de Java Ocidental. Os outros dois cúmplices do crime também foram presos. De acordo com o chefe da Unidade de Investigação da Polícia de Bandung, Galih Indragiri, um deles foi entregue pela mãe.

Os criminosos foram acusados de difamação online sob a Lei de Informações e Transações Eletrônicas, com sentença máxima de quatro anos de prisão, além de violar deliberadamente a lei e prejudicar outras pessoas, punível com até 12 anos de prisão.