Em seus dias finais, o governo Trump expandiu uma política que permite que aos contratantes em níveis federais do governo dos EUA, que demitam ou possam não contratar funcionários LGBT+. A justificativa é que estes podem “ofender as crenças religiosas” de seus contratantes.

Organizações LGBT+ disseram ao Gay Star News que a nova medida é “um chute no estômago para as proteções federais contra discriminação existentes no país”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A nova regra surge enquanto o presidente Donald Trump tem apenas 43 dias para deixar o cargo em 20 de janeiro. Devem ser suas prioridades, né? Deixar um país mais injusto e desigual.

De qualquer forma, o presidente eleito Joe Biden prometeu reverter muitas das políticas discriminatórias de Trump e promover os direitos LGBT+ assim que assumir o cargo.

Até agora, apenas organizações religiosas e sem fins lucrativos podiam discriminar em suas práticas de emprego nos EUA. A regra tinha como objetivo permitir que eles selecionassem membros de sua própria religião como funcionários em entrevistas de emprego, sem que isso caracterizasse discriminação (ainda que seja!).

VEJA TAMBÉM:  Trump demite e chama militares trans de "desqualificados"
Biden promete revogar medidas LGBTfóbicas de Trump. (Foto: Reprodução / Twitter)
Biden promete revogar medidas LGBTfóbicas de Trump. (Foto: Reprodução / Twitter)

Sobre a medida de Trump, Jennifer Pizer, diretora jurídica e política da organização LGBT + Lambda Legal, disse: “É difícil mensurar o dano que o Gabinete de Programas Federais de Conformidade de Contratos está colocando em pessoas LGBTQ, mulheres, minorias religiosas. Por quase 80 anos, tem sido um princípio americano fundamental que buscar e receber dólares de impostos federais para gerar emprego para o povo americano sem que isso signifique discriminar os próprios trabalhadores”.

Ela concluiu: “Esta nova medida usa a religião para criar uma isenção essencialmente ilimitada para discriminar”.

A ONG Lambda Legal ainda alertou que isso colocará funcionários LGBT+ de contratantes federais em risco de serem demitidos ou perder benefícios de saúde por algo tão simples como se casar com um parceiro do mesmo gênero ou, por exemplo, transicionar de gênero.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).