Rosinha do Beco, a travesti mais idosa da Chapada Diamantina, na Bahia, foi assassinada a pauladas e teve seu corpo queimado na última quinta-feira (30). Segundo relatos, Rosinha teria sido morta por um homem que marcou um encontro com ela por dinheiro. No entanto, não se sabe quem receberia a remuneração.

Até o momento, a polícia da cidade de Seabra (BA) não prendeu o responsável pelo crime, mas compareceu ao local onde encontrou um pedaço de madeira sujo de sangue. “Os Anjos da Chapada foram os primeiros a chegarem à cena do crime por conta do incêndio na parte interna da residência. No entanto, fomos surpreendidos por um corpo totalmente carbonizado no solo. No momento, foi acionada a Polícia Civil, combatido todo o incêndio, e preservado a cena para não atrapalhar os trabalhos investigativos”, disse o comandante da Equipe Anjos da Chapada, Cesar Maciel, ao programa de rádio Resumo da Manhã.

A população da cidade diz estar chocada com o fato, pois Rosinha era “muito conhecida e querida na região toda”. “Já não sofria o estigma e o preconceito por ser travesti, sendo vista mais como uma mulher idosa, bem humorada, brincalhona e trabalhadora”, escreveram em uma página no Instagram.

Na região, crimes como este não são comuns, mas acredita-se que a situação pode ser avaliada como um reflexo da cultura LGBTfóbica que ganha força no Brasil bolsonarista.