A transfobia infelizmente é capaz até de separar famílias! Olha essa história: Uma mãe ficou com o coração partido depois que seu pai (que ela nem imaginava ser transfóbico!) cancelou a tradicional ceia de Natal anual da família, que acontecia até 2018 (e desde então não comemoraram mais a data juntos) – só porque sua neta se revelou trans.

Michelle Scrimgeour-Brown, que vive no  Canadá, revelou que ela e sua família foram excluídas completamente desde o Natal de 2018 depois que ela contou a seu pai que quem ele considerava seu “neto” de 14 anos, na realidade era neta e tinha se revelado uma mulher trans.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em um artigo publicado pelo jornal canadense Today’s Parent, Scrimgeour-Brown contou que sua última conversa cara a cara com seu pai foi em 22 de dezembro de 2018, quando ela pediu que ele usasse pra se referir à neta, os pronomes no feminino e avisou que seu nome seria Layla.

VEJA TAMBÉM:  Mulher trans é eleita prefeita pela 1ª vez em cidade do interior da França

Dois dias depois, na véspera de Natal, ela mandou uma mensagem aos pais para lembrá-los antes que a família se recordasse dos pronomes e do nome da filha: “Isso leva um tempo, eu sei”, escreveu a mãe aos pais. “Você vai errar sem querer, assim como o resto de nós. O que importa é que a gente tente”.

Nisso, ele simplesmente respondeu recomendando uso de violência contra a neta e desrespeitando seu gênero: “Ela é ele e não ela. E se você não bater, eu não irei.”

“Penso muito nessa mensagem de texto”, escreveu Scrimgeour-Brown. “Ele realmente pensou que eu iria escolhê-lo ao invés da pessoa que nasceu de mim? Ele realmente achava que seu ódio – seu medo, na verdade – seria o que orientaria minhas decisões?”, questionou com indignação.

O avô transfóbico desde então nunca mais convidou a família para as festividades de Natal, deixando claro que a neta não seria bem vinda. E

VEJA TAMBÉM:  "Se você não gosta de gay, não precisa bater. Só não comer", explica psicóloga ao comparar jiló com homofobia

Felizmente, a mãe de Scrimgeour-Brown foi capaz de aceitar e entender a identidade de sua neta trans, e ela foi para a casa deles no dia de Natal, deixando seu marido transfóbico em casa sozinho.

Neta não tem mais Natal por culpa de avô transfóbico. (Foto: Freepik)
Neta não tem mais Natal por culpa de avô transfóbico. (Foto: Freepik)

Infelizmente, a situação não melhorou nos dois anos que se passaram. Inicialmente, eles esperavam que a dor de perder sua família pudesse “abrandar seu coração” e ajudá-lo a aprender a amar sua neta como ela é.

“Ao invés disso, ele se tornou cada vez mais frio e distante, insistindo que eu eestava errada em permitir que meu filho se tornasse quem ela é”, disse a mãe.

Apesar disso, Scrimgeour-Brown disse que perdoa seu pai transfóbico: “Minha filha é tão saudável e feliz e tão aceita em toda a vida. Ele é apenas uma exceção gritante!”, escreveu ela.

E concluiu: “E, francamente, não sentimos falta dele. Estamos cercados por pessoas que amam Layla, nos amam e nos apoiam incondicionalmente de todas as maneiras que podem; em todas as maneiras que importam. E é disso que eu e ela precisamos.”

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).