Mais um caso de transfobia no país que mais mata essa parcela da população no mundo. A travesti Nessa Dresch usou suas redes sociais para denunciar uma tentativa de homicídio motivada por transfobia por um cliente. “Com o que ele fez no meu pescoço, era pra eu estar morta”, disse ela exibindo um dos cortes provocados pelo agressor com uma chave de fenda.

Tudo aconteceu madrugada da última sexta-feira pra sábado no município de Criciúma, em Santa Catarina. A travesti acabou sendo hospitalizada, perdeu 2 dentes e levou vários pontos no pescoço devido a agressão com a chave de fenda: “Tive sorte que não perfurou mais ou não estaria viva segundo os médicos”, desabafou Nessa em seu Instagram.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Apesar de estar fora de perigo agora após sua passagem pelo hospital, o que mais a chocou além da agressão bárbara foi o pouco caso com que a polícia lidou com o registro da ocorrência.

VEJA TAMBÉM:  Confundida com homossexual, professora é agredida e chamada de “veado de merda” no Rio
Vítima denuncia pouco caso da polícia: “Agressão leve!”. (Foto: Reprodução / Instagram)

O crime foi registrado como “agressão leve”. Sim. Para a Polícia Civil do Estado de Santa Catarina, uma perfuração no pescoço com chave de fenda motivada por ódio (transfobia) é uma “agressão leve”. Deve ser bem leve mesmo pro delegado cisgênero que a atendeu, né? Afinal, ele não sendo uma travesti, isso pouco afeta a sua realidade e pode ser classificado como algo “leve”…

Assista abaixo seu post contendo vídeos do acontecido e seu desabafo em seu perfil no Instagram:

Ao final de seu desabafo, felizmente já fora de perigo de vida, Nessa agradeceu o apoio e pediu justiça: “Quero dizer que estou bem, estou viva. Nunca imaginei que aconteceria isso comigo, mas a transfobia está aí”.

Ao Põe Na Roda, Le Cordeiro, que mora em Cruciúma, expressou seu descontentamento com a situação da polícia de SC e a maneira como os crimes de ódio tem aumentado na região sem uma resposta do poder público para isso: “A gente está bem cansado disso aqui em Criciúma. As pessoas, desde que o Bolsonaro assumiu o poder, estão cada vez mais se sentindo no direito de agredir e constranger minorias, principalmente a comunidade LGBTQIA”.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).