Uma pesquisa publicada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública fez algumas constatações sobre o comportamento de membros da polícia militar na Internet, revelando que LGBTfobia é um dos assuntos favoritos destes profissionais.

No total, foram analisados 879 profissionais de diferentes recortes (militares, civils, ativos e aposentados) para representar a massa total de 885.730 profissionais da área.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Segundo o resultado, no ambiente online, a maioria compartilha posts contendo LGBTfobia nas redes sociais. Dentre os assuntos mais comentados por eles, o segundo são “piadas” ou posts abertamente homofóbicos. No total, 24% das publicações são deste teor, perdendo apenas para o tema “comentários sobre política institucional” (falar da própria instituição da Polícia) que responde por 29%.

Outro dado levantado foi que 41% dos PMs apoiam publicamente o presidente Jair Bolsonaro. Já entre as patentes mais altas, o apoio é mais discreto, 35%.

VEJA TAMBÉM:  Primeiro-ministro belga se pronuncia após 1º assassinato homofóbico em 9 anos no país
Gráfico revela hábitos dos PMs nas redes sociais
Gráfico revela hábitos dos PMs nas redes sociais. Imagem: Reprodução

Outros temas mais falados pelos policiais são Sociedade (pandemia e Segurança Pública) com 14%, Comentários contra instituições democrtáticas com 12% (dentre eles o polêmico “fechamento do congresso” inflamado pelo presidente Jair Bolsonaro) e comentários contra a imprensa com 2%.

Como afirmou o portal Para Mocinhos, que publicou o levantamento originalmente, é impressionante constatar que críticas à causa LGBT, gays e transexuais principalmente, sejam assuntos que chamam mais atenção dos policiais do que as próprias discussões sobre o presidente do país ou a pandemia.

Não surpreende vivermos em um país tão LGBTfóbico, onde muitas vezes a polícia mais ameaça LGBTs do que protege, o que seria sua obrigação por lei principalmente após a criminalização da LGBTfobia.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).