Nesta quinta-feira (6), duas mulheres foram vítimas de transfobia por um uber em Brasília. No vídeo é possível ver o motorista exigindo a saída das moças do carro após perceber que elas são trans.

Inconformadas com o preconceito, as mulheres solicitam uma explicação do porque teriam que deixar a corrida se o motorista já havia aceitado. O uber então saiu do carro e foi para cima das vítimas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  Jovem trans ganha o presente de Natal mais lindo de sua avó

“Ao entrarmos no carro, simplesmente o motorista olhou pra nossa cara e mandou a gente descer do carro dele, que ele tinha finalizado a corrida e tals. A gente sem entender até então, perguntamos o motivo pelo qual ele não iria levar a gente, e ele disse que não iria levar”, escreveu Erika Muniz em uma publicação do instagram.

Ela ainda acrescenta: “daí, percebemos que era pelo fato de ser trans. Então, começamos a gravar ele e dizer que só sairíamos dali com a polícia. Daí, ele partiu pra agressão”.

Em comunicado ao Observatório G, a Uber soltou a nota:

VEJA TAMBÉM:  Casal de mães conta que filho foi forçado a ouvir sermão homofóbico pra entrar em time de basquete

“A Uber não tolera qualquer forma de discriminação em viagens realizadas em sua plataforma. Assim que recebemos a denúncia, banimos o motorista do aplicativo. Em casos dessa natureza, a empresa fica à disposição para colaborar com as autoridades e compartilhar informações sobre os envolvidos, observada a legislação aplicável”

As duas mulheres trans registraram ocorrência na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin).

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) também acompanha o caso. Em nota, o órgão informou que “está tomando todas as providências e se colocou à disposição das duas mulheres” e que vai acompanhar as investigações.