Um médico foi preso após agredir uma mulher trans dentro do motel. Os dois estavam no local e a agressão veio após a vítima, que é prostituta,  se recusar a realizar atos sexuais fora do combinado. O caso ocorreu em Aparecida de Goiânia, em Goiás. 

A vítima relatou que o médico estava preocupado com uma possível filmagem do ato, chegando a jogar uma toalha em cima da bolsa dela para evitar. De acordo com o depoimento prestado a polícia, o agressor tentou inserir uma das mãos no ânus dela, que recusou. Ele então pediu um “beijo grego”, o que também foi recusado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Com as recusas, o agressor foi ficando cada vez mais nervoso, até que a mulher decidiu interromper o ato. Quando estava se vestindo, o homem deu um mata-leão nela, a acusando de ter filmado. A vítima teve um corte na região próxima a sobrancelha.

VEJA TAMBÉM:  Escola é fechada após pais de alunos ameaçarem castrar estudante trans

De acordo com o Mais Goiás, a vítima conseguiu se desvencilhar, mas teve que fugir nua da suíte.  O agressor ainda teria quebrado um aparelho de TV e a porta do recinto.

Segundo a matéria, a mulher trans afirmou na porta da delegacia que o suspeito “já tem fama de ser agressivo e é conhecido na BR-153”. A vítima ainda gravou quando estavam na presença da polícia, mesmo assim o agressor a chutou, na presença do policial.

“Ele falou que eu invadi o quarto, é mentira, ta tudo gravado (…) Eu não sou uma bicha problemática para ficar querendo roubar os outros”, relatou no vídeo.

Uma reportagem chegou a divulgar um vídeo gravado pela mulher trans onde nenhum dos dois envolvidos foi identificado. Assista abaixo se quiser:

VEJA TAMBÉM:  Disque 1746! Rio ganha serviço pra denúncia de LGBTfobia