Justamente no Dia Mundial do Orgulho LGBTQ+, 28 de junho, o jogador de futebol americano Christian Jones fez um comentário homofóbico no Twitter.

Na publicação, já apagada, o atleta escreveu: “Eu vou manter essa ideia… O homem não deve estar com um homem. Uma mulher não deve estar com outra mulher. ISSO MESMO, BRO! Viva a vida com segurança”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Os diretores do Edmonton Eskimos, equipe da cidade canadense de Edmonton, rapidamente se manifestaram, excluindo o jogador do time e reafirmando o suporte à comunidade LGBTQ+.

“Nós apoiamos a comunidade LGBTQ+ e condenamos firmemente a linguagem usada por Christian Jones. Não há lugar para tais comentários em nossa equipe.”

A Liga Canadense de Futebol (CFL) também falou sobre o assunto: “Não há lugar em nossa liga para comentários que depreciam as pessoas com base em sua religião, raça, gênero ou orientação sexual”.

também condenou os comentários, escrevendo em um comunicado que “não há lugar em nossa liga para comentários que depreciam as pessoas com base em sua religião, raça, gênero ou orientação sexual”.

“Nós da CFL mantemos alta a bandeira Diversity Is Strength. Nossa liga não reivindica a perfeição, mas se esforça para ser inclusiva, aceitar e realmente celebrar nossas diferenças, e respeitar e honrar os direitos humanos. Todos nós precisamos dizer não ao ódio e sim ao amor.”

Christian Jones posteriormente se desculpou na rede social e disse que esta é uma “oportunidade de crescimento”:

“Minhas palavras foram profundamente ofensivas, dolorosas e serviram a zero propósitos. Acrescentei à luta de uma comunidade, viver uma vida livre de opressão de qualquer tipo. Eu sinceramente peço desculpas. Eu estava errado.”

Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.