Dois irmãos que viviam em Sydney, na Austrália, foram condenados a uma longa pena de prisão por tentarem implantar uma bomba que explodiria durante um voo da Etihad, de Sydney para Abu Dhabi. O artefato estava embarcando escondido na mochila de um terceiro irmão deles, que é gay e não sabia de nada. 

Segundo o jornal britânico The Telegraph, intuito era justamente explodir o voo da Etihad em um ataque terrorista do ISIS que felizmente foi descoberto e desativado a tempo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Os dois esconderam a bomba em um moedor de carne, que embalaram e colocaram na bagagem do terceiro irmão que embarcaria. A trama foi planejada ainda com ajuda de um quarto irmão mais velho deles, que lutou na guerra pelo Estado Islâmico na Síria.

Às autoridades os irmãos confessaram que escolheram o terceiro irmão como cobaia para carregar a bomba sem que soubesse, porque desaprovavam seu comportamento “frequentando boates e sendo gay”, o que eles consideravam trazer vergonha para a família, e assim portanto, “pouco se importavam com a sua vida”.

VEJA TAMBÉM:  Casal de lésbicas deixa emprego após chefe recomendar que “parecessem mais hétero”

Julgados somente agora, o acontecido se deu em 15 de julho de 2017, o dia em que Khaled Khayat, 52, e Mahmoud Khayat, 34, esconderam a bomba no moedor de carne na mochila do irmão gay, além de uma bomba de gás que também explodiria durante o voo matando todos os passageiros.

a man looking at the camera: (News Video)
Khaled Khayat, um dos irmãos que se aproveitou do irmão gay pra executar um atentado terrorista.

No entanto, uma vez no aeroporto levando o irmão que acreditava estar apenas indo viajar, eles decidiram abortar o plano quando um atendente da companhia aérea  estranhou o peso da bagagem e pediu para averiguar..

O irmão mais velho dos quatro, líder do ISIS na Síria, é quem havia enviado os componentes da bomba pra Sydney, juntamente com vídeos sobre como montá-lo aos dois outros irmãos que incriminariam o quarto irmão mais novo e gay. Acredita-se que este irmão mais velho esteja vivendo no Oriente Médio atualmente em fase terminal de câncer de pulmão.

VEJA TAMBÉM:  Não-binária e ativista LGBT, Matheusa foi assassinada por traficantes

Ontem (17), na Suprema Corte de NSW, a juíza Christine Adamson sentenciou os 2 irmãos que planejaram o ataque: “Se as conspirações tivessem corrido conforme o planejado, ninguém na aeronave teria sobrevivido, tanto pela bomba quanto pelo gás”.

A juíza ainda disse que, embora o plano tenha falhado, eles conseguiram “criar terror” entre passageiros que ouviram falar da história.

“A conspiração da qual ambos os infratores eram partes claramente previa um grande número de mortes e eles não se importavam com isso“, afirmou a juíza ao emitir a sentença de cada um.

Khaled Khayat acabou sendo condenado por 40 anos e Mahmoud Khayat por 36 anos de prisão em regime fechado. Eles devem cumprir um período mínimo de 30 e 27 anos respectivamente para poderem passar à liberdade condicional.

O irmão gay já se encontrava preso desde que encontraram a bomba em sua mochila, com dois anos de detenção. No entanto, ele voltou a Sydney em setembro, quando um tribunal militar decidiu que ele não estava envolvido e havia na realidade apenas sido usado por seus irmãos que tramaram todo o plano.

VEJA TAMBÉM:  Curso de autodefesa para LGBTs abre inscrições em Teresina
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).