De coração partido, a irmã do dançarino gay irlandês assassinado, Adrian Murphy, explicou por que “perdoa” o casal hétero que matou seu irmão, mas também faz questão de viajar pra ir até o tribunal no julgamento encará-los e ouvir suas confissões.

Adrian Murphy, aos 43 anos, foi encontrado morto em sua casa em Battersea, Londres, em junho de 2019. Ele foi envenenado com uma substância conhecida como Sopro do Diabo, um nome alternativo para uma droga mortal da família da erva daninha.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O casal hétero Joel Osei, de 25 anos, e sua ex-namorada Diana Cristea, de 18 anos, foram considerados culpados pelo assassinato por um júri no Tribunal Crown de Croydon na última sexta-feira (23 de outubro).

A irmã de Adrian, Majella Murphy, que é cantora e compositora, disse ao The Irish Sun que “perdoa” Osei e Cristea e que tem rezado para que “não façam mais mal”, informou o Pink News.

VEJA TAMBÉM:  Presidente do congresso da Índia promete descriminalizar sexo gay no país
Adrian Murphy: morto após cair em golpe de casal hétero que conheceu no Grindr (Foto: Reprodução / Facebook)
Adrian Murphy: morto após cair em golpe de casal hétero que conheceu no Grindr (Foto: Reprodução / Facebook)

No entanto, ela revelou que quer ir até Londres para encarar no julgamento, o casal hétero de assassinos quando estes forem condenados no Tribunal Criminal Central de Old Bailey, agendado 14 de dezembro: “Eu oro por eles, pois eles vão para o inferno por causa disso. Rezo para que não façam mais mal. Muitos danos foram causados”, disse Majella ao jornal.

Ela continuou: “Eu também não desejo que os assassinos sofram, pois ficaria muito triste se alguém, incluindo eles, sofresse como eu estou agora. Tudo o que posso dizer é que os perdôo. Não é porque eu sou uma boa pessoa, mas porque não posso me dar ao luxo de espalhar mais ódio.”

Majella descreveu seu irmão dançarino como um “superstar” e disse que ele era “o cara mais generoso e eclético que você poderia conhecer”: “Éramos melhores amigos, fazíamos tudo juntos, éramos irmão e irmã. Sempre estivemos disponíveis um para o outro ”, disse Majella.

VEJA TAMBÉM:  Mulher trans é morta brutalmente dentro de sua própria casa em São Paulo

“Minha vida nunca mais será a mesma. Metade de mim se foi agora. Eu sou a mais nova da família agora, o que é chocante. Eu o amo pra sempre”, desabafou ela.

Majella Murphy perdeu o irmão assassinado por um casal hétero golpista. (Foto: Reprodução / The Irish Times)
Majella Murphy perdeu o irmão assassinado por um casal hétero golpista. (Foto: Reprodução / The Irish Times)

Majella ainda disse que quer que o casal hétero de assassinos formado por Osei e Cristea recebam a pena máxima, dizendo que “precisam disso”: “Isso nunca o trará de volta, então não há justiça para nós. Veja, meu coração está partido. ”

Sua família de coração partido disse que ele trouxe “o amor e a arte da dança a milhares de jovens” em todo o mundo.

Em um comunicado após o veredicto do crime, a família de Adrian Murphy lembrou dele como um “irlandês inspirador” que levou “o amor e a arte da dança a milhares de jovens” em todo o mundo.

“O legado de Adrian é o de um herói e espero que sua trágica morte tenha impedido que isso acontecesse com qualquer outra vítima inocente. Ele agora está dançando entre as estrelas. Que descanse em paz”, concluiu.

VEJA TAMBÉM:  Índia proíbe “Com Amor, Simon” e gera fúria nas pocs indianas
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).