Legisladores republicanos de Idaho se reuniram para adiantar um projeto de lei que proíbe garotas trans e intersexuais de competir no atletismo escolar.

De acordo com a Vox, o projeto ainda precisa ser sancionado pelo governador Brad Little. Se aprovado, vai ser o primeiro projeto de lei transfóbico a entrar em vigor no estado.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

De acordo com o texto do projeto de lei, se o sexo de uma garota é questionado por um treinador ou pai e mãe de competidores adversário, ele deve ser comprovado por meio da apresentação de “uma declaração médica assinada que indique o sexo do aluno com base apenas no sistema reprodutivo interno do estudante. Outros indicativos que também podem ser utilizados são: anatomia, níveis normais de testosterona produzidos e uma análise da composição genética do aluno”.

“Esta lei inconstitucional e mesquinha impede as meninas trans de encontrar apoio e autoestima no esporte e certamente resultará em litígios para defender os direitos civis da comunidade de transgêneros de Idaho, afirma Kathy Griesmyer, diretora de políticas da União Americana de Liberdades Civis de Idaho.

VEJA TAMBÉM:  SESC SP promove curso sobre LGBTfobia no futebol brasileiro

A diretora ainda afirma que “este projeto de lei tenta resolver um problema que não existe enquanto bate a porta para estudantes-atletas trans participarem plenamente de suas comunidades escolares”.

Griesmyer conta que os legisladores possuem pautas muito mais urgentes a serem resolvidas, como o combate a pandemia do coronavírus. Ao contrário das recomendações da Organização Mundial da Saúde e das ações de combate e prevenção de diversos países, as escolas de Idaho não fecharam em meio ao surte porque os legisladores “discutem até que ponto podem restringir a vida cotidiana das pessoas”.