Após despertar a indignação interacional com uma determinação absurda e monstruosa que aplicava pena de morte aos gays, o sultão de Brunei, Hassanal Bolkiah, anunciou no último domingo (5), que suspendeu, ao menos temporariamente, ao ato criminoso que ele chama de Lei.

Entretanto, muitos artistas que propuseram boicote à rede de hotéis do magnata, acreditam que ele está apenas esperando a poeira baixar. Como é o caso de George Clooney. Nas redes sociais, o ator lembrou que ainda é preciso muita atenção.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Este é um enorme passo em frente depois de um salto gigantesco para trás. Ele promete que os cidadãos do Brunei não serão executados por serem gays. Também envia uma mensagem crucial para países como a Indonésia e a Malásia, de que há um custo para a promulgação dessas leis. E o custo não é o pessoal boicotando seus hotéis. O custo é que corporações e grandes bancos não fazem negócios com você”, enfatizou o galã.

VEJA TAMBÉM:  “Ser gay não é normal!”, diz líder de torcida russo sobre turistas gays

De acordo com Clooney, a revogação temporária é apenas por interesses financeiros.  “As instituições financeiras geraram um enorme impacto. No entanto, a lei para apedrejar seus cidadãos ainda está em vigor. Isso significa que, assim que a pressão acabar, eles podem simplesmente iniciar o processo de execução. Então, em referência ao boicote, todos devem fazer o que acham correto. Para minha família e para mim, simplesmente não podemos nos afastar até que essa lei monstruosa não esteja mais nos livros ”, encerrou.