Na última quinta-feira (13), uma decisão do Supremo Tribunal Federal decidiu criminalizar à LGBTfobia. Apenas um dia após a decisão, Mauro de Sousa, filho do criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa, sofreu um ataque homofóbico nas redes sociais.

Por meio do seu perfil, Mauro compartilhou à mensagem. No Texto, o internauta dizia: “Haverá muitos ‘viadinhos’ que começará a inversão da esclerose de Maurício”, escreveu o seguidor, se referindo a um comentário recente do produtor, sobre a possível criação de um personagem LGBT para os quadrinhos.

Em sua rede social, Mauro rebateu: “Resolvi fazer esse post. Não para expor ninguém, mas para informar os mais desinformados. Em uma reportagem recente, eu comentei, sim, que havia planos de um personagem gay na Turma da Mônica e, por conta disso, o infrator fez o comentário homofóbico acima. A diferença entre ontem e hoje é que ontem ele era apenas mais um hater. Mas hoje, ele é um criminoso e pode ir para a cadeia. Não, eu não vou ficar calado. Não, eu não quero mais aceitar que me chamem de ‘viadinho’. Só quem pode me chamar assim sou eu mesmo. E sim, a LBGTfobia agora, é crime”, respondeu.