Crime de ódio contra LGBTs é algo revoltante. Mais ainda é quando o poder público não se mobiliza para investigar e punir os responsáveis, né? Pois olha essa…

Uma estudante lésbica foi agredida e deixada com três costelas quebradas na escola. Segundo sua mãe, ela sofreu a violência por preconceito com sua aparência masculina.

Segundo informações do Washington Blade, a garota que cursa o 11º ano do ensino dos Estados Unidos em Northwestern High School, na cidade de Maryland, ainda luta para que a escola se responsabilize pelo ataque.


Assista também:


A mãe dela, Lidia Reyes, entrou em contato com o Washington Blade para reclamar da falta de atitude quanto ao caso, contando que a agressão ocorreu dentro do auditório do colégio no dia 23 de março de 2017.

Lidia contou que acredita que a filha, que é abertamente lésbica, tenha sido alvo da agressão por seu look masculinizado. As duas se mudaram da Guatemala para os Estados Unidos alguns anos atrás. (continua abaixo)

Veja também:

Procurada pela imprensa, a escola afirmou que na data, o auditório estava fechado sem poder confirmar se a agressão realmente ocorreu. A polícia também não soube identificar os agressores da garota junto a administração da escola.

A secretaria da educação de Prince George’s County, que é responsável pela Northern High School, também afirmou não ter conseguido identificar os agressores e ainda afirmou que tem uma política forte anti-discriminação e que isso inclui questões de orientação sexual e identidade de gênero.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).