Ontem (10), a produtora cultural Patrícia Borges, que é apoiadora e funcionária da equipe da candidata à vereadora em São Paulo, Erika Hilton (PSOL), foi agredida com mordidas e golpes de bastão de metal.

À reportagem da Folha de São Paulo, a vítima contou que estava panfletando na Avenida Paulista, em campanha por Erika Hilton, quando uma mulher reagiu agressivamente a sua abordagem.

O motivo? LGBTfobia. Patrícia havia dito, como forma de enaltecer Erika Hilton, que é uma candidata “preta, mulher trans e que poderia ajudar a mudar a estrutura do poder” ao que a mulher se revoltou e disse: “Eu não, cambada de viado, tem tudo que morrer!”

Logo após a agressão verbal, veio a agressão física. A mulher pegou um bastão de pau de selfie e começou a bater em Patrícia, além de ter dado uma mordida nela.

Patricia Borges, apoiadora de Erika Hilton, é agredida na Avenida Paulista. (Foto: Reprodução)
Patricia Borges, apoiadora de Erika Hilton, é agredida na Avenida Paulista. (Foto: Reprodução)

“E o namorado dela ainda ficou falando ‘Olha para você e olha para a minha namorada’. E ela falava ‘Sou gostosa, sou buc***'”, disse a vítima, provando que se trata de um crime de discriminação transfóbica.

Uma viatura da Polícia Militar próxima do local interviu, mas se recusou a prender a agressora em flagrante por crime de transfobia. Eles apenas pegaram os dados da agressora e afirmaram que ela será chamada a depor.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).